Publicado em: quinta-feira, 08/09/2011

Marcha Contra a Corrupção levanta reivindicações para fiscalizar representantes públicos

Protesto chamado de Marcha Contra a Corrupção, realizado nesta quarta-feira (07), roubou a atenção do desfile tradicional em homenagem ao feriado do Sete de Setembro. Organizado pela internet, o protesto começou com a perspectiva de reunir duas mil pessoas. Porém, o número aumentou por conta de outros que participaram quando viram a manifestação. A adesão contou com aqueles que saíram de casa inicialmente para verem o desfile cívico.

Parte da manifestação contou com o ato simbólico dos protestantes que lavaram a rampa do Congresso Nacional e dos ministérios do Esporte e da Agricultura, envolvidos em escândalos de acusação de corrupção. De acordo com um dos organizadores do protesto, Charles Guerra, “nós vamos pegar a água do espelho d’água do Ministério da Justiça para lavar o Ministério dos Transportes, que foi onde começou esses novos escândalos”. Outra organizadora do evento, Daniella Kalil, defende que a intenção não era atrapalhar o desfile do Sete de Setembro, mas apenas chamar atenção para os casos de corrupção.

Além da manifestação em si, o movimento conta com reivindicações que auxiliem a fiscalizar e evitar outros casos de má conduta por parte dos representantes públicos. Entre tais exigências, o voto aberto no Congresso Nacional, a votação do projeto de lei que classificaria a corrupção como crime hediondo e a aplicação da Ficha Limpa estão inclusos.

Criado há um mês, o movimento conta com o apoio jurídico da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no DF. O presidente da Ordem, Ophir Cavalcante, participou da Marcha.