Publicado em: sexta-feira, 02/08/2013

Mantendo o tom de desafio Berlusconi é condenado a prisão por fraude fiscal

Mantendo o tom de desafio Berlusconi é condenado a prisão por fraude fiscalO ex primeiro Ministro italiano Silvio Berlusconi foi condenado por fraude fiscal e reagiu com arrogância ao ouvir a setença.

Silvio ainda manteve seu tom desafiador e na quarta-feira a noite publicou por meio de vídeo em uma rede social, um comunicado, onde relatou que foi vítima de uma manipulação política e garantiu que não irá desistir de sua batalha.

Segundo informações Berlusconi estaria armando uma guerra grandiosa contra a magistratura italiana, que segundo ele foi irresponsável.

Após longos dez anos de imunidade e processos, teve fim a impunidade do ex primeiro Ministro.

Com quase oito horas de duração o julgamento foi decidido por 5 juízes na Suprema Corte de Cassação e mantiveram a condenação de Belusconi a quatro anos de prisão.

No entanto a decisão que solicitava o impedimento de Silvio a ocupação de cargos públicos foi anulado e reenviado ao tribunal de Milão, será proposto um novo julgamento para que essa decisão seja tomada.

Com 70 anos de idade, Silvio Berlusconi, não irá para a cadeia e tem direito a três anos de indulto e com isso cumprirá a sentença de apenas um ano que pode ser em prisão domiciliar ou prestando algum serviço social.

O processo concluiu que Silvio cometeu fraude superfaturando os direitos de programas de TV e também em exibições de filmes pelas suas emissoras.

Também foram condenados com Berlusconi dois ex dirigentes de sua rede de televisão Mediaset e também um produtor cinematográfico.

No momento o ex primeiro ministro parece não estar preocupado e nem demonstra interesse em derrubar o governo, mas as repercussões na política ainda podem surpreender.

Com todos esse acontecimentos o primeiro Ministro Henrico Letta demonstra preocupação assim como também o Presidente Giorgio Napolitano.

Berlusconi que é Senador da República deve sair do cargo dentro de alguns meses, mas garante que não vai desistir da política, ele afirmou que espera que o veredicto abra os olhos do cidadãos sobre a possível submissão que há em parte dos Juízes sobre a Itália.