Publicado em: quarta-feira, 26/10/2011

Mantega diz que redução do IPI aconteceu para preservar empregos

Nesta quinta-feira (25), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, comentou que a redução do IPI (Imposto sobre produtos Industrializados) aplicado para as montadoras brasileiras aconteceu para preservar o numero de empregos. Os montadoras podem comprar as peças nacionais com 65%. “Condicionamos esse desconto de IPI para as empresas manterem a manutenção dos empregos, mas sem se engessarem”, explica.

De acordo dom Mantega, o objetivo com a redução é que a partir de janeiro de 2013 os componentes dos veículos nacionais seja novamente elevado. Ele anda comentou que o plano de demissão voluntária não está diretamente relacionados à decisão do imposto.

“Apenas uma empresa apresentou plano de demissão voluntária, a pessoa sai se quiser”, garantiu. Segundo Mantega, as montadoras resolver utilizar esta estratégia para fazer uma acomodação regional, uma vez que os índices revelam que estas empresas realizaram mais contratações do que demissões neste ano.

O ministro ainda comentou que o IPI também pode ter sido influência pela intervenção da Organização Mundial de Comércio, porém, disse que não houveram denuncias, apenas o repasse de informações. O governo não precisa se defender, pois só foi uma solicitação de informações, não é uma ação aberta contra o Brasil. O Brasil, nesse cenário, é um dos que menos tomou medidas nessa natureza. EUA, China e Índia têm tomado medidas protecionistas, medidas que defendem o mercado nacional”, explicou

Mantega ainda afirmou que todas as montadoras brasileiras continuam a cumprir o acordo de não elevar os valor dos automóveis. “Os preços dos carros novos têm subido menos que a inflação. Houve queda real de preço dos carros novos. As montadoras estão cumprindo em evitar o aumento dos preços e das demissões”, disse.