Publicado em: terça-feira, 30/08/2011

Mantega diz que programas sociais não devem ser afetados pela crise econômica

Na segunda-feira (29) o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que os programas sociais e prioritários não devem ser afetados pelas novas medidas que devem preparar o país para a crise econômica global. Ele garantiu que não haverá corte de gastos nestes programas. “Estamos falando em não aumentar gastos, não em cortar gastos”, afirmou Mantega.

Para isso, o governo anunciou no dia que a meta do superávit primário está sendo aumentada em R$ 10 bilhões. O índice mete a quantia que o pais economiza para realizar o pagamento de suas dívidas. Dessa forma, a nova meta da União é de R$ 91,7 bilhões.

“Esse ajuste se dá para impedir o aumento de gastos correntes. Não compromete nenhum programa social, nenhum programa prioritário do governo. Mas impede aumento de gastos correntes que pudessem ser aprovados no Congresso Brasileiro”, explicou Mantega.

O ministro afirmou que as novas medidas adotadas pelo governo federal buscam continuar consolidando o crescimento sustentável do Brasil. “Não confundam isso com os ajustes que estão sendo feitos em países europeus, que estão em uma condição diferente da nossa. Não estamos cortando nenhum programa social e queremos ampliar o investimento, não reduzi-lo. É um ajuste para garantir o crescimento da economia e a geração de empregos”, disse.