Publicado em: sexta-feira, 20/06/2014

Manifesto feito pelo Movimento do Passe livre nesta quinta-feira em São Paulo terminou em confronto com Policiais

Manifesto feito pelo Movimento do Passe livre nesta quinta-feira em São Paulo terminou em confronto com PoliciaisUm manifesto que teve sua organização feita pelo Movimento do Passe Livre, em comemoração de um ano da redução das passagens de ônibus, acabou em um confronto com policiais na noite desta quinta-feira.

Os manifestantes queriam realizar uma festa para comemorar, com churrasco, apresentações de músicos e também teatrais, a comemoração foi intitulada de “festa popular”, porém quando os participantes do manifesto estavam na Marginal Pinheiros, no sentido da Rodovia Castelo Branco, um grande tumulto ocorreu.

Minutos antes das 19h, manifestantes foram até uma concessionária da Mercedes Bens, que fica localizada na Marginal, foi depredada e vários automóveis foram danificados, os policiais do batalhão de Choque foram chamados ao local e quando chegaram ao local dispararam bombas de gás lacrimogênio e também de efeito moral, para que os manifestantes se afastassem do local, depois da ação policial, que terminou quase as 20h, a Marginal Tietê já tinha suas pistas liberadas para acesso.

Logo depois que os manifestantes deixaram o local, teve início a ação do grupo Black Blocks, que realizaram barricadas no bairro de Pinheiros e outros diversos atos de vandalismo, além disso o grupo também disparou fogos de artifício contra os policiais que atuavam no local.

Em entrevista coletiva a Polícia Militar informou que o manifesto organizado pelo Movimento do Passe Livre foi observado de longe por eles, já que os próprios integrantes do Movimento Passe Livre solicitaram para que os Policiais se mantivessem afastados para que fossem evitados possíveis confusões, de acordo com informações que foram passadas pelo Movimento Passe livre em uma rede social, quando a ação policial teve início o ato já estava próximo de seu fim, segundo as informações do MPL os policiais reprimiram com violência o ato utilizando bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral contra os participantes do ato.