Publicado em: terça-feira, 08/11/2011

Manifestantes pedem ajuda internacional para proteger civis em Homs

A entidade que reúne grupos de oposição ao governo de Bashar al-Assad, o Conselho Nacional Sírio (CNS), pediu na última segunda-feira (07) apoio internacional para proteger os civis da cidade de Homs. De acordo com o CNS, a região se transformou em “área de desastre” por conta das repressões das forças de segurança. A cidade é a terceira maior do país e está há cinco dias sob operação militar que vem deixando dezenas de mortos.

Em comunicado, o CNS declarou “pelo quinto dia consecutivo o regime sírio está impondo um ataque brutal contra a brava cidade de Homs, tentando acabar com a determinação dos moradores que ousaram rejeitar a autoridade do regime”. No mesmo texto é quando o CNS faz o pedido para que autoridades internacionais intervenham e “atuem para conter o massacre, dando proteção aos civis”. De acordo com o Conselho, a operação militar está impedindo a entrada de alimentos e medicamentos em Homs.

Na semana passada, a Síria havia concordado com uma proposta da Liga Árabe que, entre as diversas metas, previa o encerramento do uso de violência contra os civis. Neste final de semana, o chefe da Liga Árabe demonstrou preocupação com a violência no país e pediu que Damasco cumprisse com os pontos estabelecidos na proposta.

Quando aceitou a proposta da Liga Árabe, o governo da Síria havia concordado “sem ressalvas”. Desde março, quando as revoltas começaram, a Organização das Nações Unidas estima que 3,5 mil civis foram assassinados. Desde a data em que a Síria assinou o plano da Liga Árabe, foram mortas 60 pessoas.