Publicado em: sábado, 06/08/2011

Manifestantes chilenos exigem renúncia de ministro do Interior

Ao continuarem com as manifestações contra o governo chileno, estudantes do país exigiram que o ministro do Interior do país, Rodrigo Hinzpeter, renuncie ao cargo por conta das repressões dos protestos feitas pela polícia. Para os estudantes, as medidas tomadas pelo governo são “desproporcionais” aos atos realizados por eles. Desde quando as manifestações começaram, o Chile conta com mais de 500 estudantes presos e mais de 100 feridos.

De acordo com a presidente da Confederação dos Estudantes da Universidade do Chile (Confech), Camila Vallejo, o ministro do Interior “tem que assumir as consequências disto, porque se (ele) quis estabelecer a ordem pública e a segurança cidadã, fez tudo ao contrário”. Além disso, a estudante defende que a atitude da polícia nas manifestações é inaceitável, pois estudantes e professores reivindicam por melhorias no setor da educação do país. Para ela, vários direitos constitucionais foram violados, inclusive o da reunião, como tem acontecido com as manifestações, ao reprimirem os manifestantes.

Em afirmação prestada pelo ministro do Interior na quarta-feira (03), Hinzpeter afirmou “as marchas se encontram fora da margem da lei porque não foram autorizadas. Parece-me inconveniente que os movimentos estudantis e o Colégio de Professores se sintam no direito de realizar mobilizações. No Chile, ninguém está sobre a lei.”

Informações divulgadas pela Confech confirmam que na próxima terça-feira o Chile passará por uma greve nacional do setor da educação do país. Uma das principais reivindicações dos manifestantes é que o país oferte um sistema de ensino público e gratuito a todos os cidadãos chilenos.

p1