Publicado em: quinta-feira, 26/07/2012

Manifestantes bloqueiam Frei Caneca em protesto contra fechamento de shopping

Pelo menos 50 pessoas, entre funcionários e donos de lojas do Shopping Frei Caneca, realizaram um protesto na manhã desta quinta-feira, 26 de julho. A manifestação é contra o fechamento do local, que foi determinado pela prefeitura. De acordo com os órgãos responsáveis da prefeitura de São Paulo, o local não tem licença para continuar funcionando.

O Shopping Frei Caneca está localizado no bairro da Consolação, na região central da cidade e os manifestantes bloquearam parte da rua no qual ele está localizado. Por conta disso, a Companhia de Engenharia e Tráfego de São Paulo, a CET, registrou muita lentidão na região durante a manhã desta quinta-feira.

A manifestação, que segundo a Polícia Militar está sendo realizada de maneira pacífica, foi organizada pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo, o SECSP. Na semana passada o órgão já tinha realizado um outro protesto, mas em frente ao Shopping Pátio Higienópolis, que também estava sendo ameaçado de ser fechado pela Prefeitura por não oferecer o número suficiente de vagas de garagem exigido pelo governo municipal.

Por meio de uma nota oficial publicada em seu site, o SECSP disse que organizou a manifestação com o objetivo de zelar pela manutenção dos empregos daqueles que trabalham no shopping. Esses centros de compras seriam fundamentais, de acordo com o sindicato, para o desenvolvimento da região, além da geração de postos de trabalho e por conta disso não podem ser fechados.

Entenda o caso

A Prefeitura de São Paulo está acusando o Shopping Frei Caneca de não ter uma licença para o seu funcionamento desde que o local passou por uma reforma no ano de 2010. Na quarta-feira, a A 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo determinou que a prefeitura faça uma análise da licença de funcionamento do shopping. Com isso, o centro comercial ganha pelo menos dez dias para resolver os seus problemas com a administração municipal, que diz que o shopping tem uma dívida que ultrapassa o valor de R$ 17 milhões.