Publicado em: quarta-feira, 22/01/2014

Mais uma morte comprovada dentro do Presídio de Pedrinhas (MA)

Presídio de Pedrinhas (MA) O detento Jô de Souza Nojosa foi encontrado morto na Penitenciária de Pedrinhas, em São Luiz. Segundo a perícia do Instituto de Criminalística ele estava pendurado em uma corda feita de lençóis e o corpo ainda estava dentro da cela quando foi encontrado. Souza estava na prisão desde o dia 28 de Dezembro e foi encontrado no Pavilhão D da unidade. Há indícios que tenha sido um homicídio, pois Souza tinha sinais de algumas agressões pelo corpo.

Segundo o delegado Jefrey Furtado mais 7 prisioneiros estavam no local e dessa forma vão procurar o autor e responsável pelo atentado. Segundo o governo esse ato pode ter ocorrido para atentar às autoridades sobre uma reação de transferência de alguns presos para os presídios federais.

Na segunda (20) nove presidiários foram transferidos para o Presídio Federal de Segurança Máxima de Campo Grande. Essa retaliação pode ter sido um indício de retaliação por essa transferência. Na quinta (16) houveram tumultos com os presos que ficaram revoltados, depois de uma tentativa de motim tudo se normalizou com a Força Nacional e a PM fazendo vistoria dentro das celas.
Os detentos que foram transferidos para capital são os principais suspeitos dos atentados que ocorreram no início do ano. Também são suspeitos de terem matado outros presidiários dentro de Pedrinhas.

No início do ano Maranhão viveu dias de terror com ônibus incendiados e várias pessoas feridas. Uma menina de 6 anos morreu com mais de 90% do corpo queimado. A mãe e a irmã também tiveram o corpo queimado, mas passam bem e já tiveram liberação médica. Um homem também sofreu queimaduras por todo o corpo na tentativa de salvar 2 crianças e continua internado em um Hospital de Goiânia. Investigações comprovam que a autoria dos atentados tiveram partido de dentro do presídio, uma possível facção criminosa.