Publicado em: terça-feira, 15/04/2014

Mais de 70 pessoas morrem em atentados na Nigéria

Mais de 70 pessoas morrem em atentados na NigériaNa capital da Nigéria, Abuja, explosões com bombas estão deixando vítimas. Até o momento, 71 pessoas faleceram e outras 124 se feriram nos atentados. As possíveis causas dos atentados ainda são desconhecidas.

Os incidentes aconteceram nesta segunda-feira, dia 14 de abril, em um dos terminais rodoviários da cidade. As informações foram repassadas pela polícia local. Os feridos foram encaminhados aos hospitais tanto da capital quanto de cidades próximas.

Por volta das 6h45 da manhã, horário da Nigéria, os atentados começaram. Naquele momento, os passageiros entravam nos ônibus do terminal Nyanya Bus Park. O local fica a cinco quilômetros de distância de Abuja.

A explosão pode ter surgido de um veículo, de acordo com especialistas de busca e resgate. Depois das bombas serem lançadas, houve muita confusão no local. Os corpos das vítimas ficaram sobre o chão.

Como já se sabe, em Abuja acontecem vários ataques provocados por Bolo Haram, um grupo islamita. Um deles aconteceu no ano de 2011, quando a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) foi atingido e deixou 26 pessoas mortas.

A Anistia Internacional já contabilizou 1500 mortes somente em 2014 por conta dos atentados. Goodluck Jonathan, presidente da Nigéria, foi até o local em que ocorreram os ataques. Ele fez a promessa de que o país irá combater a ação do grupo Boko Haram.

O presidente afirma que o grupo é uma parte ruim da história do país e isso deve ter fim porque o país já perdeu muitos inocentes.

Ajuba foi construída na déada de 1980. A localização geográfica central a fez substituir a antiga capital do governo, que era Lagos. A Nigéria é o principal país do continente africano que exporta petróleo, além de ser a maior economia da região.

Os integrantes do Boko Haram tem o objetivo de consolidar um Estado islâmico. Os ataques se concentraram na parte nodeste do país. Nos últimos meses, o grupo se manteve ativo e levando civis à morte.

Os participantes do Bolo Haram acredita que a população colabora com o atual governo.

Há dois dias, outras 60 pessoas morreram em Bomo, um dos estados da Nigéria. Os moradores foram atingidos por homens em motos e carros blindados. Ainda houve corte na água da população.

No mês passado, aconteceu um atentado de mulçumanos a participantes de uma reunião, no norte da Nigéria.