Publicado em: terça-feira, 29/10/2013

Mais de 140 bilhões de reais do 13º deve aquecer economia brasileira

Mais de 140 bilhões de reais do 13º deve aquecer economia brasileiraExpectativa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) é que com o 13º salário impulsione a economia através de R$ 143 bilhões neste ano, já a partir de novembro. O número aponta um acréscimo de 9,8% em relação ao ano anterior.

Aproximadamente 82,3 milhões de trabalhadores serão favorecidos com um ganho suplementar que em média chega a R$ 1.740. Entre os beneficiados estão os trabalhadores com carteira assinada e nisto estão inclusos as domésticas, aposentados entre outros.

Desse total de brasileiros que deverão receber o 13º salário, perto de 30,76 milhões (37,4%) são aposentados ou pensionistas da Previdência Social. Os empregados com registro somam 50,6 milhões de pessoas e satisfazem a 61,4% do total. Inseridos neste contexto, os funcionários domésticos com registro em carteira são 1,760 milhão, ou seja, 2,2%. Existem também os aposentados e favorecidos pela União com número de 760 mil pessoas, isto é 1,2%.

O dado de trabalhadores que embolsarão o salário bônus é perto de 3% superior do medido para 2012. Entre os estados que pagarão a maior parcela configuraram o Sudeste, onde também reúne o número maior de beneficiários pelo 13º salário, seguido por Sul, Nordeste, Centro-Oeste e Norte respectivamente.

Os beneficiados do regime próprio da União replicam 5% da soma e podem
morar em alguma região. Avaliando todas as camadas de favorecidos, o valor máximo medial para o 13º deve ser liquidado em Brasília na faixa de R$ 3.174, já o mais baixo, nos estados do Maranhão e Piauí, com estimativa de R$ 1.100,00.