Publicado em: quinta-feira, 23/02/2012

Maioria do PSDB quer Serra candidato em SP

Segundo o deputado Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB, toda a cúpula do partido está na torcida para que Jose Serra seja confirmado como candidato tucano nas eleições municipais de 2012 para disputar a prefeitura de São Paulo.

Segundo Guerra, praticamente 100% do PSDB espera Serra como candidato a prefeito, pois ele apresenta chances de vencer as eleições. Até mesmo a cúpula nacional que derrotou o Serra na convenção do partido quer que ele dispute a prefeitura paulista.

Guerra se reuniu com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), para discutir a sucessão na capital. Na reunião que tiveram, combinaram que a prioridade é fazer de Serra o candidato do partido. Atualmente há quatro pré-candidatos inscritos nas prévias tucanas. Os tucanos optaram também por afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) das discussões partidárias referentes a São Paulo. Os tucanos não querem que Serra se irrite com Aécio.

No início de 2012, parecia haver uma aproximação entre Alckmin, Aécio e Gabriel Chalita, pré-candidato pelo PMDB. A movimentação foi até aprovada pela cúpula do DEM. No entanto, devido às negociações entre o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), com o Partido dos Trabalhadores, optou-se em mudar as estratégias políticas. Kassab, porém, deixou de apoiar o PT para que Serra tenha sua ajuda política na capital. A próxima semana é decisiva para a confirmação ou não de Serra à Prefeitura de São Paulo.

PSDB apresenta problemas entre os membros

Sergio Guerra, presidente do partido, foi coordenador da campanha de Serra nas eleições de 2010. No entanto, tempo depois, romperam a relação política, pois Guerra articulava sua permanência no comando do PSDB com o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Como Serra tinha interesse em ocupar o posto, ficou irritado com as movimentações do atual presidente. O desentendimento ocorreu depois que Guerra coletou assinaturas de integrantes da Câmara para sua manutenção na presidência.

Depois, vendo que não teria chances para comandar o partido, Serra quis a presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV). Mais uma vez foi derrotado pelo grupo de Guerra e Aécio, que indicou Tasso Jereissati (CE) para o cargo. Atualmente Serra comanda o Conselho Político do PSDB.