Publicado em: quinta-feira, 16/08/2012

Mães de Maio têm página no Facebook suspensa

Mães de Maio têm página no Facebook suspensaO Movimento Mães de Maio, um grupo que luta contra a violência policial no país, teve a sua página oficial no Facebook suspensa na manhã de terça-feira, 14 de agosto. A retirada da página do ar fez com que muitos simpatizantes e participantes do grupo ficassem revoltados. Até a noite de do dia da suspensão, pelo menos 1,4 mil pessoas já tinham compartilhado uma mensagem que falava sobre o fechamento da página. Vale lembrar que a página voltou a ser veiculada no Facebook ainda no final da tarde de terça-feira.

O Facebook não quis se pronunciar sobre o caso, alegando que não comenta casos específicos registrados pelos seus usuários e explicou que se a página foi temporariamente bloqueado, foi porque algum dos termos de uso do site haviam sido desrespeitados ou que algum outro usuário teria feito uma denúncia sobre o seu conteúdo.

Ainda assim, o Facebook não respondeu qual termo de uso teria sido descumprido e nem que parte do conteúdo disponível na página havia sido denunciado. Além disso, também não falaram o motivo da página ter voltado a ser veiculada.

Débora Maria da Silva, que é líder do grupo ‘Mães de Maio’, acredita que a suspensão, mesmo que temporária, da página, foi um ato de censura por parte do Facebook. De acordo com ela, a página foi fechada porque as mães estão sendo perseguidas e isso seria uma espécie de represália contra elas. Ela falou que não querem que seja divulgado que a polícia do nosso país mata muitas pessoas inocentes, fazendo um extermínio ao invés da prevenção de crimes.
Débora é mãe do gari Edson Rogério Silva dos Santos, que foi assassinado no ano de 2006 na onda de violência organizada pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC.