Publicado em: terça-feira, 13/08/2013

Maduro quer mais poderes como presidente para combater a corrupção

Maduro quer mais poderes como presidente para combater a corrupçãoNicolás Maduro, presidente da Venezuela fez um anuncio nesta terça-feira, dia 13 de agosto onde solicita ao Parlamento para ampliar os poderes dele como presidente no intuito de combater mais eficientemente a corrupção no país. O presidente afirmou que vai decretar um estado em emergência na nação para que esta sua meta seja levada a frente, estes poderes especiais que ele deseja devem ser aprovados através da Assembleia Nacional e podem oferecer as mãos de Maduro as possibilidades em promulgação de decretos sem que estes tenham a necessidade de passar pelo julgo do Parlamento.

Maduro fala como chefe de Estado e Presidente que irá decretar que a Venezuela está em estado de emergência nacional, pois esta em luta para acabar com a corrupção e por isso, pedirá ao parlamento os seus poderes especiais no intuito de avanço nos processos em realizar reforma nas leis e haver uma mudança institucional, para que haja o lançamento de um grande e profundo combate à corrupção, declarou Maduro à imprensa.

De acordo com o presidente venezuelano indica, estas mudanças devem ter em suas bases uma nova e forte Constituição e ele apela apoio aos jovens de seu país para que lutem ao lado dele contra esta corrupção instalada na Venezuela e que precisa ser eliminada urgentemente, por isso, ele precisa de seus poderes especiais.

Estes poderes especiais solicitados pelo presidente deverão ter aprovação através de Assembleia Nacional, assim Maduro fará os decretos-lei que quiser sem a necessidade de qualquer participação do Parlamento venezuelano.

O presidente antecessor a Nicolás Maduro, Hugo Chávez obteve também do Parlamento este tipo de poderes chamados de especiais onde ele tinha plenos poderes para levar a frente se decidisse o que eles chamam de revolução socialista.

Chávez, morto em 2012, governou a Venezuela desde o ano de 1999, ele obtinha poderes especiais nas legislaturas de 2000, 2001, 2008 e 2010. Nestes períodos o presidente fez a aprovação de em torno de 200 leis, como, por exemplo, tornar nacional a indústria do ouro, criar um banco agrícola do Estado, tabelar preços e fez a reformulação de toda a Forças Armadas.