Publicado em: terça-feira, 22/11/2011

Lupi se encontra com PDT para ganhar apoio e continuar na pasta até 2012

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, deve se reunir na noite desta terça-feira (22) com a cúpula do seu partido para mostrar que tem apoio dentro da sua própria legenda e fortalecer as condições para a sua permanência na pasta. A meta do ministro é continuar no cargo até janeiro de 2012, quando a presidenta Dilma Rousseff deve realizar a reforma ministerial. A substituição de Lupi estava prevista para o ano que vem, mas as recentes acusações contra o Ministério enfraquecem sua presença no Planalto.

Os integrantes da reunião desta terça-feira com Lupi são principalmente da Executiva do PDT, além dos presidentes dos diretórios regionais do partido. Nos colegiados da legenda, Lupi conta com o apoio da maioria, e nos Estados os comandantes são nomeados em caráter provisório pelo ministro. Para o deputado Mário Heringuer (PDT-MG), “duvido que alguém vai pedir a saída dele do cargo. O quadro é outro. Além disso, parece que Dilma quer que ele fique”.

Os opositores à continuidade de Lupi no Ministério são principalmente das bancadas da Câmara e do Senado, sendo que estes não foram convidados para a reunião agendada. No caso do deputado José Reguffe (PDT-DF), por exemplo, ele conta “eu não fui convidado para a reunião”. Junto a Reguffe, Miro Teixeira (PDT-RJ) afirmou “eu fiquei sabendo do encontro pela imprensa”.

Lupi foi acusado de estar envolvido em um suposto caso de desvio de verbas em convênios firmados com ONGs, sendo que este é o terceiro caso envolvendo este tipo de entidade em esquemas de corrupção. Além do Trabalho, os Ministérios do Esporte e do Turismo também passaram pela mesma situação.