Publicado em: segunda-feira, 20/01/2014

Lulu está indisponível há quase um mês

Lulu está indisponível há quase um mêsO polêmico aplicativo Lulu está prestes a completar um mês longe das lojas virtuais Apple Store e Google Play. O aplicativo ficou indisponível a partir do dia 24 de dezembro e, desde então, não retornou mais, apesar dos diversos comunicados da empresa Luluvise afirmando que o Lulu retornará. Apesar do otimismo, a Luluvise sequer explicou a retirada do Lulu das lojas virtuais, se limitando a informar que o produto está sendo renovado.

Liminares

Embora a Luluvise não confirme, é provável que o Lulu tenha sido retirado das lojas virtuais para evitar processos. Recentemente, uma série de liminares contra o aplicativo começou a surgir. A principal (e mais sólida) reclamação diz respeito à utilização dos dados de usuários sem autorização. Para quem ainda não conhece, o Lulu é um aplicativo utilizado exclusivamente por mulheres, onde elas podem avaliar perfis masculinos, atribuindo notas para uma série de características.

Para o público masculino, a utilização do Lulu é bastante limitada. Os homens podem apenas mudar a foto de perfil e sugerir hashtags para descrevê-los. Não há a possibilidade de ver as notas ou saber quem votou neles, sejam avaliações positivas ou negativas.

O problema, de acordo com os críticos, é que nenhum homem escolheu entrar no Lulu. Para que seu perfil apareça no aplicativo, basta que você seja homem e tenha uma conta no Facebook. Esta questão foi uma das bases para as ações movidas contra o aplicativo. Em outras palavras, o Lulu estaria “sequestrando” os dados dos usuários do Facebook e utilizando-os de maneira indiscriminada.

“Manutenção”

Independente de toda esta polêmica, o Lulu anunciou, no dia 24 de dezembro, que faria uma paralisação para manutenção. As usuárias imaginavam que o problema seria resolvido em poucas horas, mas, até hoje, o Lulu segue fora do ar para o público brasileiro. Curiosamente, nos Estados Unidos o aplicativo segue funcionando normalmente, desde fevereiro de 2013, quando foi criado por lá. Por enquanto, o Lulu está disponível apenas para Brasil e Estados Unidos, o que impede que outros países sejam analisados em relação à suposta manutenção.

Dados

Na última semana, a justiça do Distrito Federal determinou que o aplicativo Lulu retire de seu banco de dados todos os perfis masculinos que não tenham sido previamente autorizados por seus proprietários. A decisão, publicada em 9 de janeiro, também estipula que, em caso de descumprimento da norma, a Luluvise precisará pagar uma multa diária de R$500.

Os homens têm a opção de excluir seu perfil no Lulu. Contudo, para que isso seja feito de maneira rápida, é preciso autorizar o aplicativo a utilizar os dados da página do Facebook. Também é possível fazer o procedimento por email, mas isto não é informado de maneira clara no site oficial do Lulu.

Segundo o Ministério Público do Distrito Federal, a responsabilidade pela utilização dos perfis masculinos no Lulu também se estende ao Facebook, que funciona como um banco de dados para o polêmico aplicativo. Por enquanto, a Luluvise também preferiu não comentar sobre esta liminar.