Publicado em: quarta-feira, 10/04/2013

Lula não quer comentar sobre inquérito que investiga sua participação no mensalão

Lula não quer comentar sobre inquérito que investiga sua participação no mensalãoO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não quis comentar o pedido de inquérito feito para investigá-lo no caso do mensalão durante visita a Londres. A decisão de pedir a abertura de inquérito criminal para avaliar sua participação no esquema partiu do Ministério Público Federal e vem ganhando repercussão na mídia mundial.

Durante a entrevista um militar a serviço da Presidência para cuidar da segurança do Petista empurrou o repórter sobre ameaça de expulsa-lo do ponto turístico visitado por Lula.

Entenda o porquê da investigação sobre o ex-presidente

Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado por envolvimento no caso, revelou em setembro de 2012 durante depoimento a Procuradoria Geral da Republica (PGR) o envolvimento do ex-presidente no caso.

Por não possuir foro privilegiado, concedido apenas a autoridades políticas, que têm garantido o direito de serem julgados, por um tribunal diferente ao da primeira instância, o pedido foi encaminhado a Procuradoria da República de Minas Gerais. Que remeteu a documentação para apuração da Procuradoria do Distrito Federal, abrindo mão da investigação das acusações.

Em posse dos papeis a Procuradoria do DF deu encaminhamento a abertura de seis processos criminais baseadas nas acusações feitas por Marcos Valério contra Luiz Inácio. Uma delas tratando da suspeita de seu envolvimento com uma empresa portuguesa. Esta é a primeira vez em que um inquérito está sendo aberto contra o ex-presidente a fim de investigar sua participação no esquema do mensalão. Cabe a Policia Federal um trâmite burocrático até a abertura definitiva do processo, mas o arquivamento por parte da polícia não é possível sem que haja investigação.

Valério chegou a afirmar durante julgamneto no Supremo Tribunal Federal que Lula fez negociação com o presidente da Portugal Telecom na época, Miguel Horta, de US$ 7 milhões para o PT – Partido dos Trabalhadores.