Publicado em: sábado, 23/06/2012

Lugo é afastado e Franco assume presidência no Paraguai

Nesta sexta-feira (22), o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, foi destituído de seu cargo pelo Senado do país e, pouco menos de duas horas mais tarde de seu julgamento, o vice-presidente, Federico Franco, assumiu o cargo. Lugo sofreu um impeachment porque, segundo os parlamentares, não estava cumprindo com empenho suas funções. Franco deverá ficar na presidência paraguaia por nove meses, até que sejam realizadas novas eleições no país.

A comunidade sul-americana e os partidários de Fernando Lugo acreditam que seu impeachment foi um golpe de Estado. Franco assumiu o novo cargo em uma sessão conjunta do Congresso, foi muito aplaudido pelos presentes. No entanto, Bolívia, Venezuela e Equador já declararam que não irão reconhecê-lo como presidente do Paraguai. Argentina e Chile também fizeram críticas.

Discurso de Franco

Franco recebeu o bastão e a faixa presidencial, e realizou um discurso, destacando o assassinato dos policiais em um conflito contra sem-terra em Curaguaty. Esta foi uma das alegações feitas para que Lugo fosse retirado do cargo que ocupava. Franco afirmou que a forma de honrar os oficiais que morreram no confronto é começar um “verdadeiro desenvolvimento rural sustentável”.

Fernando Lugo, por sua vez, não aprovou a decisão do Senado de afastá-lo. Ele afirma que a democracia do Paraguai foi ferida com seu impeachment. Lugo foi condenado com um placar de 39 parlamentares a favor de seu afastamento, contra 4 e 2 abstenções. O presidente não quis participar do julgamento e somente mandou cinco advogados para que apresentassem a sua defesa.