Publicado em: terça-feira, 05/02/2013

Lucros da Petrobras caem 36,3% em 2012 e são piores do que estimativa de analistas

Lucros da Petrobras caem 36,3% em 2012 e são piores do que estimativa de analistasO lucro líquido da Petrobras teve queda de 36,3% no ano passado em comparação com o ano de 2011, chegando em R$ 21,182 bilhões, conforme aponta balanço que foi divulgado durante esta segunda-feira (4). Este resultado foi bem pior do que a queda de 30% que os analistas haviam estimado.

A receita da empresa chegou a R$ 281,3 bilhões, valor 15% superior ao verificado no ano de 2011, que era de R$ 244,1 bilhões. A presidente Graça Foster apontou em carta aos acionistas quais foram os motivos para a redução no lucro, que o mercado já esperava acontecer.

Ela afirmou que esse valor 36% inferior ao do ano de 2011, tem explicações no aumento de importação dos derivados com preços com maior elevação, além da desvalorização cambial que tem impacto no resultado das finanças e nos custos operacionais baixos, no aumento das despesas extraordinárias como a pouca quantidade de poços secos e na produção de petróleo.

Os lucros antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda em sigla em inglês), que é o indicador que faz a medida na geração dos caixas para as empresas, esteve em R$ 53,4 bilhões no ano passado 2012. Este valor significa redução de 14% na comparação do ano.

Da mesma forma, a quantidade de endividamento líquido teve aumento de 43%, chegando em R$ 147,8 bilhões. A quantidade de endividamento da empresa chegou a atingir 30%, contra 24% um ano atrás, que fez com que se aproximasse mais do limite de 35% da própria Petrobras para que o grau de investimento fosse mantido nas agências de rating.

A relação de dívida líquida com a geração de caixa da empresa, que é vista nas agências de rating para fazer a avaliação de empresas, chegou a ultrapassar o limite de 2,5, e chegou em 2,77 em 2012, em dezembro do ano retrasado o valor foi de 1,66, o que faz com que seja acesa uma luz amarela no mercado de que pode ocorrer um rebaixamento.

O diretor Adriano Pires do Centro Brasileiro de Infraestrutura diz que a Petrobras vem colhendo o que foi plantado pelo governo quando fez com que a empresa virasse um instrumento para suas políticas públicas.

A quantidade de petróleo e derivados importados na companhia teve aumentod e 4% e chegou a 779 mil barris diários, isso fez com que a empresa fechasse o ano passado tendo um déficit de 231 mil barris por dia.