Publicado em: terça-feira, 17/04/2012

Luan Santana diz que crucificou adolescência em nome do sucesso

O cantor sertanejo Luan Santana, de 21 anos, concedeu uma entrevista à revista “IstoÉ”, afirmando que a sua carreira artística o fez sacrificar muito a sua vida pessoal. Crucifiquei minha adolescência, mas tudo bem”, declarou, além de garantir que sempre manteve a cabeça focada em seus objetivos. “Foi o que eu escolhi para a minha vida”, ele disse, completando que desde o começo tinha conhecimento de que seria dessa forma.

O sertanejo revelou que possui uma equipe que administra sua fortuna. Ele realiza em torno de 20 shows por mês e por cada um deles cobra o equivalente a R$ 500 mil. “Eu não tenho talão de cheque, mas uso cartão de crédito”, falou.

Segundo ele ninguém impõe limites na quantia que ele vai gastar. “Tudo o que quero eu compro”. Contudo, ele garante que não costuma fazer grandes loucuras envolvendo dinheiro.

Desde 2009, época em que lançou seu primeiro disco, Luan Santana é um dos artistas mais populares no cenário musical. Sua música “Meteoro” já vendeu mais de 1,8 milhão de cópias, número muito significativo em tempos de crise na indústria fonográfica. Hoje em dia, ele viaja o Brasil através de seu jatinho particular. O cantor recebe patrocínio de quatro empresas e tem 50 produtos licenciados em seu nome.

Ele conta que uma coisa que sente falta de fazer, mas não pode por causa da fama é “andar na calçada normalmente, atravessar uma rua no meio dos carros, essas coisas. Ir ao mercado, à padaria também”. Ele reconhece que se fizesse isso atrapalharia o funcionamento dos lugares, mas confessou que consegue ir ao cinema, pois espera tudo ficar escuro para entrar.

Ele garante que não voltaria no tempo e que se sente realizado com sua vida e dá muito valor para tudo que conseguiu. “Abri mão, sim, da minha vida pessoal, mas não foi à toa”. O cantor se diz muito feliz e fala que adora pegar seu carro e dirigir sozinho. Luan finaliza dizendo que seu sonho de consumo é comprar uma fazenda e se tornar fazendeiro.