Publicado em: segunda-feira, 12/03/2012

LSD pode ajudar alcoólatras, dizem pesquisadores

Pesquisas realizadas nas décadas de 60 e 70 mostraram que o LSD tem benefícios para combater o alcoolismo. Os estudos identificaram que uma dose de LSD é eficiente para colaborar com a reabilitação de alcoólatras. Embora essas pesquisas tenham sido realizadas há 40 anos, não receberam visibilidade na época. Somente agora, depois que alguns pesquisadores reuniram esses resultados antigos e publicaram o estudo no Journal of Psychopharmacology que as experiências ganharam destaque no debate público.

Os experimentos realizados nos anos 60 e 70 utilizaram 500 pacientes para testar os resultados da droga. Eles concluíram que o LSD proporcionou um efeito benéfico aos pacientes que usavam uma quantidade exagerada de bebida alcoólica. Além disso, o efeito da droga foi bastante duradouro. Essa droga é forte e tem o potencial de bloquear uma substância presente no cérebro, que se chama serotonina. A função dela é fazer o controle da fome, do humor e do comportamento.

Nos testes analisados pelos pesquisadores, alguns pacientes que estavam em tratamento receberam uma dose da droga. O conteúdo variava entre 210 e 800 microgramas. Como resultado, percebeu-se que no grupo de pessoas que usou o LSD, 59% dos pacientes diminuíram o consumo da bebida. No grupo que não consumiu a droga, esse percentual foi de apenas 38%.

Droga tem efeito duradouro

Depois de ingerir o LSD, o seu efeito só desapareceu depois de 12 meses. Quem participou do teste percebeu que o consumo de álcool diminuiu, diferente daqueles que não utilizaram a droga. Dessa forma, Teri Krebs e Pal-Orjan Johansen, que são os autores do estudo, concluíram que o LSD, embora seja uma droga, tem efeitos positivos para combater o alcoolismo.

Os autores do estudo questionam o porquê estas pesquisas que possuem mais de 40 anos nunca ganharam destaque na medicina se há provas de que o LSD oferece benefícios aos pacientes que sofrem com o alcoolismo. A publicação recebeu vários elogios, inclusive de David Nutt, que já participou do governo britânico. Nutt acredita que é necessária uma abertura maior nas leis para que este tipo de pesquisa possa ser feito.