Publicado em: sexta-feira, 22/07/2011

Lista de assinaturas a favor do PSD conta com falsificações e nomes de falecidos

Para conseguir criar a nova legenda PSD para concorrer às eleições municipais de 2012, o prefeiro de São Paulo, Gilberto Kassab, deve conseguir 490 mil assinaturas de eleitores em apoio ao novo partido. O prefeito precisa apresentar o conjunto de assinaturas até setembro, data limite imposta pela Justiça Eleitoral para que seja possível incluir a legenda no processo eleitoral. Porém, após a apresentação de 82 mil assinaturas, perícia realizada comprova que cinco a cada dez nomes são falsos.

Além no número estabelecido para ganhar validade a criação do partido, as assinaturas devem constar, pelo menos, nove estados diferentes. Com isso, os fatores são volume e abrangência da necessidade de uma nova sigla. Com relação ao comprovamento da falsificação de metade das assinaturas, o responsável pelo PSD no Rio de Janeiro, Índio da Costa, afirmou que ele faz uma breve “checagem primária” para evitar possíveis erros. No momento, as assinaturas coletadas representam os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Para o promotor da zona eleitoral de Ermelino Matarazzo, Márcio José Lauria Filho, existe a necessidade de um inquérito para investigar a possibilidade de fraude para a criação do PSD. “Os indícios são de que houve fraude feia. Poderá ocorrer o enquadramento no crime de inserção de dados falsos em documento destinado à Justiça Eleitoral. Como é que se dará o registro a uma entidade que já começa com fraudes?”

Alguns nomes foram assinados pela mesma pessoa, enquanto a lista também tem entre as assinaturas pessoas que já morreram. Ao mesmo tempo, os interessados na criação do partido defendem que pode ter participação da oposição na coleta de assinaturas, que estaria boicotando o movimento.