Publicado em: domingo, 27/04/2014

Líderes do PT tem posicionamentos diferentes sobre a CPI do Metro de SP

Líderes do PT tem posicionamentos diferentes sobre a CPI do Metro de SPApós a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter conseguido criar uma CPI que fosse própria para a investigação de denúncias contra a Petrobras, as lideranças do PT na Câmara e no Senado começaram a se opor sobre a melhor estratégia para assegurar que as suspeitas de irregularidades no Metrô de São Paulo também fossem avaliadas minuciosamente pelo Legislativo.

Dessa mesma forma, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), quer acelerar a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar o ‘caso Alstom’, de uma provável formação de cartel nas concorrências para obras no Metrô paulista, já o líder do partido na Câmara, Vicentinho (SP), acredita que se deve haver mais tempo para que o partido possa refletir sobre o fato de investigar o caso no parlamento.

Melhores estratégias

Para o líder do partido, o melhor a se fazer no momento é esperar o plenário do Supremo declarar sua decisão sobre se irá manter ou não a liminar – decisão provisória -, que foi concedida na última quarta-feira (23) por Rosa Weber à oposição. Mesmo com a desistência do PT de recorrer o caso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), declarou nesta quinta (24) que irá tentar mudar liminar na Suprema Corte. “Estamos aguardando uma reflexão melhor, do Supremo Tribunal Federal. A decisão da ministra é liminar [provisória], o plenário ainda vai se posicionar.

Tudo tem que dar tempo. Vamos fazer uma reflexão. O que está pacificado é que temos que apurar de uma forma ou de outra o caso Alstom”, afirmou Vicentinho. Em contraponto, Humberto Costa acredita que a melhor estratégia a ser usada para pressionar o PSDB, é protocolar o requerimento de CPMI sobre o Metrô paulista até o data de 20 de maio, dia em que deve acontecer a próxima sessão do Congresso Nacional, Câmara e Senado.