Publicado em: segunda-feira, 25/07/2011

Líderes americanos continuam a buscar acordos para evitar a moratória dos EUA

Neste domingo (24/07), republicanos e democratas voltaram a trabalhar para conseguir um acordo sobre o aumento do teto da dívida dos Estados Unidos, que pode evitar que o país seja obrigado a declarara a moratória no dia 2 de agosto.

O secretário do tesouro, Timothy Geithner, afirmou no dia que é “impensável”que o país chegue a uma situação de moratória, que significa que os EUA deixará de cumprir suas obrigações financeiras. Na declaração ele ainda desejou que os democratas e republicanos alcancem um acordo.

Já o presidente da Câmara de Representante, o líder republicano John Boehner, disse que espera que os partidos cheguem a um acordo e ressaltou que, caso isso não aconteça, seu partido estará disposto a seguir avanços por conta própria. Na sexta-feira (22/07), Boehner deixou a reunião que participava junto ao presidente Barack Obama.

Na reunião, ambos os partidos precisam encontrar um meio para conseguir ampliar o teto da dívida, estimada em US$ 14,29 trilhões, e evitar que o Governo fique sem fundos para cumprir as suas funções financeiras.

Para Geithner, o governo precisa conseguir uma medida equibilidade de reformas que seja baseada em “reformas reais e economia reais. Ele considera “crítico” que o Congresso consiga aprovar um novo teto da dívida que vá além das próximas eleições presidenciais, que acontecem em 2012. “O mais importante é que nos desfaçamos desta ameaça de descumprimento do país para os próximos 18 meses”, alertou.