Publicado em: sábado, 05/11/2011

Líder das Farc morre em tiroteio contra Exército da Colômbia

O líder máximo da guerrilha comunista das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Guillermo León Sáenz Vargas, foi morto pelo Exército colombiano. Também conhecido como Alfonso Cano, Vargas substituiu o então chefe e fundador das Farc, Manuel Marulanda (Tirofijo), que morreu em 2008 em decorrência de um ataque do coração. Quem confirmou a informação foi o ministro da Defesa colombiano, Juan Carlos Pinzon, e o governador do departamento de Cauca, Alberto Gonzalez Mosquera.

O guerrilheiro teria sido morto na região do departamento de Cauca. De acordo com o governador, “as forças militares da Colômbia alcançaram um de seus objetivos militares mais importantes. Alfonso Cano foi abatido precisamente no departamento de Cauca”. O ministro informou que Vargas foi morto em uma operação no sudoeste do país, região montanhosa da Colômbia. O ataque teria começado com um bombardeio do Exército contra um acampamento das Farc na região. Na seqüência, soldados chegaram e deram início a um tiroteio com guerrilheiros.

O presidente, Juan Manuel Santos, fez um discurso que foi transmitido pela televisão. Depois de afirmar que este foi o golpe mais devastador que a organização já recebeu, Santos disse “quero enviar uma mensagem para cada um dos membros daquela organização: desmobilizem… ou então vocês vão acabar em uma prisão ou em um túmulo. Vamos estabelecer a paz”.

Analistas que avaliaram a situação após a morte do guerrilheiro acreditam que este é mais um golpe para o grupo e também para a capacidade de coordenar ataques. O objetivo das Farc é combater o atual governo e estabelecer um regime marxista.