Publicado em: sexta-feira, 17/02/2012

Líbios celebram primeiro ano da revolta contra Kadafi

Nesta sexta-feira (17), a Líbia estava em festa para celebrar o primeiro ano de aniversário da revolta contra o antigo líder Muammar Kadafi. Os líbios soltaram fogos de artifício, enquanto o novo líder do país promete agir contra a instabilidade que a Líbia tem enfrentado. Várias pessoas estavam reunidas na Praça Thair, em Benghazi. Foi nesta cidade em que os primeiros protestos contra Kadafi foram registrados, após o líder permanecer por 42 anos no poder.

Depois que realizarem as tradicionais orações muçulmanas, os líbios balançavam a bandeira nova do país e comemoraram o aniversário da revolução por uma nova Líbia. Comemorações oficiais não foram feitas pelos governantes do país. Esta foi uma maneira de demonstrar respeito aos milhares de mortos nas batalhas, que resultaram na captura e na morte do líder em outubro do ano passado.

Comemorações espontâneas por todo o país

Os governantes não comemoraram, mas os ex-rebeldes festejavam como podiam. Eles montaram pontos em Benghazi, Misrata, Trípoli e diversos outros municípios do país. Mães que tiveram seus filhos mortos no conflito seguravam uma foto deles na Praça Tahrir e cantores e poetas faziam apresentações para todos os que chegavam na celebração. O cantor de rap líbio-americano, Malek Sahad afirmou que este é o primeiro aniversário do país e é um dia de libertação que deve ser comemorado.

Aproximadamente 200 pessoas balançavam a bandeira e gritavam para que o atual presidente Bashar al-Assad saia do poder. Os gritos dos manifestantes eram “Quem vergonha, Bashar!” e “Agora é a sua vez de sair!”. Assad já enfrentou ações impiedosas contra seu regime, que resultaram na morte de mais de seis mil pessoas desde março do ano passado. Para muitos, a Líbia sem Kadafi será um país melhor. O cantor de rap afirma que os próximos dias serão muito melhores.