Publicado em: sexta-feira, 29/07/2011

Líbia: Líder militar do CNT declarado morto após ser convocado para interrogatório

O presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT) do governo líbio, Mustafa Abdel Jalil, anunciou nessa quinta-feira (28) que o líder militar dos rebeldes, Abdel Fatah Younis, foi assassinado. O presidente repassou a informação em uma coletiva de imprensa, ma Younis estava declarado como desaparecido desde ontem à noite. De acordo com Abdel Jalil, o líder militar teria sido morto após ser convocado para um interrogatório sobre “assuntos militares”.

Durante a entrevista concedida, o presidente do CNT afirmou que “recebemos a notícia hoje [quinta-feira]… Younes e dois de seus guarda-costas foram assassinados a tiros depois que ele foi convocado perante uma comissão judicial que investiga as questões militares.” Além disso, Younis despertava sentimentos de desconfiança entre os companheiros rebeldes por ser próximo de Muammar Kadafi, ditador que está no poder e contra quem o CNT luta para substituir no governo. Outro ponto negativo com relação à liderança de Younis é o seu envolvimento em disputas internas pelo comando militar dos rebeldes.

As manifestações contra o governo de Kadafi começaram em fevereiro e Younis passou a fazer parte do grupo dos rebeldes no dia 22 do mesmo mês. Até então, Younis ocupava o cargo de ministro do Interior ao lado do ditador que o CNT vem tentando derrubar do poder.

Algumas nações reconhecerm o CNT como governo oficial da Líbia, como o Reino Unido, a França e os EUA. Para reforçar esse novo conceito, o governo britânico expulsou os embaixadores líbios do seu país e fez o convite ao CNT para que enviem um novo representante à embaixada líbia.