Publicado em: sábado, 16/07/2011

Líbia: Conselho Nacional de Transição será reconhecido por entidades internacionais

Anunciado nessa sexta-feira (15), o grupo de contato sobre a Líbia, que é formado por potências ocidentais e regionais, vai reconhecer o Conselho Nacional de Transição (CNT), formado por manifestantes anti-Khadafi, como “autoridade governamental”. Com o reconhecimento, o grupo pediu ao CNT que forme um governo de transição para o país. A decisão foi tomada durante uma reunião realizada em Istambul.

Entre os participantes do grupo de contato sobre a Líbia estão representantes de 22 países diferentes, que incluem Estados Unidos, Reino Unido, França, Qatar, Jordânia e Marrocos, além de entidades internacionais, como a ONU, a Liga Árabe e a Otan. Os ministros de Relações Exteriores de cada unidade constituem a criação do grupo.

Sobre as mudanças que acontecem com o reconhecimento do CNT, o ministro francês das Relações Exteriores, Alain Juppé, informou que “isso quer dizer que vamos descongelar uma certa quantidade de bens pertencentes ao Estado líbio, já que o Conselho Nacional de Transição (CNT) é que asume agora esta responsabilidade.” Além disso, o texto publicado pelo grupo define que “Kadhafi deve deixar o poder seguindo etapas definidas, que serão anunciadas publicamente.”

A guerra que vem destruindo o país líbio começou em fevereiro desse ano, quando rebeldes decidiram seguir os passos do Egito e da Tunísia, que conseguiram mudanças nos seus governos. O atual presidente, Muammar Khadafi, está no poder há 42 anos em regime de ditadura. Com as revoltas iniciadas pelos manifestantes, o governo contra-atacou com armamentos, conflito que fez com que o país ficasse em falta de alimentos, combustível e medicamentos. Com isso, organizações internacionais passaram a interferir na situação da Líbia.