Publicado em: sábado, 14/04/2012

Lewandowski afirma que provas contra Demóstenes são legais

O Supremo Tribunal Federal vai considerar as escutas telefônicas contra Demóstenes. Segundo Ricardo Lewandowski as gravações realizadas pela Polícia Federal podem ser utilizadas nas investigações. Nessas conversas gravadas pela PF há conversas entre Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres. O senador havia pedido, por meio de sua defesa que essas provas fossem desconsideradas, já que ele possui foro privilegiado.

No entanto, ontem mesmo Lewandowski negou o pedido da defesa do parlamentar. Lewandowski é o relator do processo e também pediu novas informações aos juízes da 11ª Vara da Justiça Federal, de Goiás. Foram eles que autorizaram as gravações da Política Federal. O relator determinou também que o processo seja submetido à Procuradoria-Geral da República.

O parlamentar está sendo acusado de tráfico de influência em favor de Carlinhos Cachoeira. As primeiras acusações apareceram depois que o empresário do jogo do bicho foi preso pela operação Monte Carlo, da Polícia Federal (PF). Cachoeira foi preso juntamente com mais 34 pessoas envolvidas com o jogo no estado de Goiás. Isso aconteceu no final de fevereiro e, depois disso, novas provas foram aparecendo contra o senador. Embora Demóstenes tenha negado saber dos trabalhos ilícitos do bicheiro, as conversas telefônicas gravadas pela PF mostrou além de saber da atuação de Cachoeira, o próprio parlamentar também participava como contraventor.

As gravações mostraram conversas entre os dois onde combinavam uma interferência do parlamentar na tentativa de legalizar o jogo no Brasil. Com isso o senador recebia dinheiro em troca. Na última semana, o STF já havia autorizado que fosse aberto um inquérito para investigar relação entre o bicheiro e o parlamentar. O Ministro do STF também determinou a quebra do sigilo bancário de Demóstenes e pediu ainda que fossem levantadas todas as emendas parlamentares apresentadas por ele durante seu mandato.