Publicado em: quarta-feira, 04/09/2013

Laudos do Caso Pesseghini dão ainda mais força a tese de que filho teria cometido os cirmes

Laudos do Caso Pesseghini dão ainda mais força a tese de que filho teria cometido os cirmesOs laudos técnicos realizados pela perícia, que esteve no local da chacina, onde cinco pessoas da mesma família foram encontradas mortas, já estão nas mãos da polícia que é responsável pela investigação do caso, que ficou conhecido como caso da família Peseghini.

A polícia acredita na tese de que Marcelo Pesseghini de 13 anos tenha cometido os crimes contra seu pai, sua mãe, sua avó e também sua tia avó e depois tenha se suicidado, os laudos que já estão com a polícia caminham na mesma linha de raciocínio a polícia, além disso foram analisadas imagens que comprovam que no dia dos crimes Marcelinho, como era chamado pela família, estava com o carro da mãe perto de sua escola, através do resultado contido nos laudos a polícia pôde saber em que ordem aconteceram as mortes, através das horas estimadas da morte de cada um.

De acordo com o que constam nos laudos o primeiro a morrer foi o pai de Marcelinho, que dormia na sala por sofrer de apinéia do sono, distúrbio que causa roncos altos em quem o possuí, por esse fato, Marcelo não dormia com sua esposa, segundo análises feitas pela polícia com base nos laudos, a segunda vítima foi Andréia que dormia no quarto, mas ao ouvir o disparo que matou o marido foi à sala para verificar o que estava acontecendo, Andréia foi atingida por um tiro na nuca pelas costas, logo após matar sua mãe, Marceliho teria ido ao cômodo da casa onde estavam sua avó e sua tia avó, ambas dormindo, a primeira a morrer foi a mãe de Andréia, com um tiro na cabeça, em seguida a tia avó de Marcelinho despertou com o barulho emitido pela arma e foi atingida por dois tiros que à levaram a morte, segundo informações do laudo os crimes aconteceram entre 0h20 e 14h do dia 5 do mês de Agosto.

O crime está sendo investigado pelo DHPP e a polícia deve pedir que mis trinta dias sejam acrescido para que eles possam concluir o inquérito, segundo informações do delegado Luis Mauricio Blazeck, ele irão chamar novamente algumas pessoas que já foram ouvidas, para que qualquer dúvida ou questionamento que possa aparecer seja esclarecida, além desses depoimentos a polícia também ainda está no aguardo do laudo de perícia psiquiátrica de Marcelinho para que este também se junte ao Inquérito.