Publicado em: sábado, 03/12/2011

Latino-Americanos criam Celac sem participação dos Estados Unidos

A Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac) foi formalizada na sexta-feira (02) em evento que contou com a participação de presidentes e representantes dos 33 países da América Latina na capital da Venezuela, Caracas. Essa é a primeira vez que os países do continente se preparam para formar uma única plataforma política sem a interferência dos Estados Unidos e do Canadá. Uma das principais tarefas da Celac é garantir a integração regional dos países.

“Temos que ter muita paciência, muita sabedoria. Não podemos deixar-nos levar pelas ideologias governantes em um país ou outro. Este processo tem que ser independente do socialismo cubano, do socialismo venezuelano, ou do sistema de governo e ideologia do governo do Brasil, da Colômbia. É a união política, geopolítica, e sobre esta união vamos construir um grande polo de poder do século 21,” declarou o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, na quinta-feira (01), antes de receber a presidente Dilma Rousseff (PT).

O primeiro desafio já foi encontrado na articulação entre os representantes de cada nação, pois o grupo não chegou a um consenso sobre como devem ser tomadas as decisões. O modo de votação pode ser por unanimidade ou maioria qualificada e o debate estava marcado para continuar na sexta-feira.

Outro ponto que logo deve ser abordado é com relação à Organização de Estados Americanos (OEA), pois alguns líderes já defendem que ela deve ser substituída. Para o presidente do Equador, Rafael Correa, “não é possível que os conflitos latino-americanos tenham que ser tratados em Washington”.