Publicado em: terça-feira, 13/08/2013

Laser pode ajudar no combate ao câncer, diz estudo

Laser pode ajudar no combate ao câncer, diz estudoO Instituto de Física Nuclear da cidade de Magurule, que fica na Romênia, está fazendo um estudo com um feixe de luz que pode ajudar no combate ao câncer. O novo tipo de laser seria o mais potente já criado até hoje. Se os trabalhos seguirem como os especialistas preveem, com ele será possível eliminar a radioatividade do material.

O novo laser só deverá começar a ser testado daqui dois anos. O estudo com ele faz parte de um projeto maior, que envolve 13 países da Europa e dezenas de instituições instaladas nesses locais. O projeto com o laser tem sido chamado de ELI, sigla para Extreme Light Infrastructure, e tem como principal meta possibilitar intensidades altas de laser com pulsos mais curtos.

De acordo com as informações fornecidas para a imprensa, este projeto abrangente ainda prevê a aplicação de prótons no combate ao câncer. Os prótons fazem parte de tratamentos que atuam no combate ao câncer de forma mais eficiente sem causar tantos danos as áreas não infectadas pelos tumores.

Segundo Nicole Zamfir, que é responsável pelo projeto ELI na Romênia, se esse tratamento com esse novo tipo de laser for bem-sucedido será um avanço na forma como o câncer vem sendo tratado ate então, já que a medida que a tecnologia avançar, os raios poderão ficar mais baratos e poderão atender a uma parcela maior da população.

Benefícios médicos

Já levando em conta os benefícios médicos, o laser teria maior eficácia do que se comparando com os tratamentos mais comuns hoje em dia, como a quimioterapia e a radioterapia. De acordo com os médicos, pelo menos 25% dos pacientes que são tratados com quimioterapia, por exemplo, não tem um tratamento eficaz por que a substância utilizada não consegue chegar direto ao tumor cancerígeno.