Publicado em: quarta-feira, 05/02/2014

Lançamento de livro desconhecido escrito por Charlie Chaplin

Livro desconhecido escrito por Charlie ChaplinUm romance inédito de Charlie Chaplin foi encontrado nos arquivos da Cinemateca de Bolonha, Itália, que decidiu editar a obra, como forma de homenagear os 100 anos da estreia do personagem Carlitos, comemorados nesse mês de fevereiro. Escrito em 1948, Footlights foi adaptado para o filme Limelight, de 1952, chamado Luzes da Ribalda em português, e fala sobre um palhaço decadente e a sua relação com uma dançarina que pensava em cometer suicídio.

Juntamente com David Robinson, biógrafo de Chaplin, a Cinemateca está restaurando arquivos e rascunhos do comediante. O instituto italiano comunicou que o livro permaneceu inédito por 60 anos no espólio de Chaplin e, segundo Robinson, a história sobre a bailarina e o palhaço teria sido inspirada em um breve porém decisivo encontro entre Chaplin e o coreógrafo e bailarino russo Vaslav Nijinsky, em 1916.

A escrita de Chaplin é muito próxima da de Charles Dickens, famoso escritor inglês, especialmente no estudo e na descrição dos personagens, afirma a Cinemateca. Comovente, tanto pelo equilíbrio narrativo como pela liberdade e vitalidade. O livro é ilustrado com fotografias inéditas e documentos provenientes do espólio de Chaplin, e ainda traz iconografias raras da cidade de Londres dos anos 20, quando Chaplin era jovem e se formava como ator.

Trajetória

Charles Spencer Chaplin nasceu em 16 de abril de 1889, em Londres. De origem pobre, seus pais eram artistas do ‘vaudeville’ (comédia musical) e Chaplin segue essa carreira até a adolescência, depois se tornando ator em um grupo de teatro. Em 1910 muda-se para os Estados Unidos e em 1914 faz sua primeira aparição no cinema, em um filme curta-metragem mudo, Making a Living (Carlitos Repórter), já com o personagem que o faria conhecido no mundo inteiro. No início da carreira a maioria dos seus filmes eram mudos, ainda que anos depois ele mesmo os tenha remasterizado e composto suas trilhas sonoras, e apenas seus últimos cinco filmes são completamente falados.

(Com informações do Correio Braziliense)