Publicado em: sábado, 08/10/2011

Laboratório garante que remédio para doença de chagas não deixará de ser produzido

Nesta sexta-feira (7), uma reunião em Recife entre a Secretaria de Saúde do Estado e organizado dos Médicos Sem Fronteiros (MSF) informou que até o final de outubro um lote que contém o princípios ativo necessário para a fabricação do remédio utilizando no tratamento da doença de Chagas seja entregue até o Laboratório Farmacêutico de Pernambuco (Lafepe).

Na segunda-feira (10) deve acontece ruma nova audiência, desta vez junto ao Ministério da Saúde, para estabelecer as formas para processo da registro e também de validação do medicamento junto a Agência Nacional de Saúde (ANS). O Lafepe é o único produtos no mundo do remédio utilizado, porém, no começo deste mês, a produção foi parada devido a escassez do principio ativo necessário, que é o benzonidazol.

Segundo a fabricante do principio, devem ser entregues 40 quilos do composto até o final deste mês e mais 280 quilos até a primeira semana de novembro. “Assim que a Nortec entregar a matéria-prima, a produção deve ser normalizada em menos de um mês”, diz o diretor comercial do Laboratório, Oseas Moraes. “Estamos preparados para trabalhar em três turnos e até mesmo durante finais de semana, se for preciso, para normalizar a produção. A fabricação do remédio é relativamente simples, temos condições de produzir quase 400 mil comprimidos em apenas uma semana”, garante

“Temos o comprometimento por parte da Nortec de que o princípio ativo será entregue dentro do prazo estipulado. O Lafepe, por sua vez, afirma que tem plena capacidade de produção, uma vez recebido o principio ativo. Agora esperamos que o Ministério da Saúde cumpra o compromisso de ser o único fornecedor mundial do benzonidazol e acelere junto à Anvisa o processo de registro e validação do medicamento”, explica a coordenadora da unidade médica do MSF-Brasil, Carolina Batista.