Publicado em: sexta-feira, 06/06/2014

Laboratório Cubano espera que em menos de dois anos tenham medicamento contra o câncer

Laboratório Cubano espera que em menos de dois anos tenham medicamento contra o câncerSegundo informações divulgadas pelo laboratório Lobiofam, um medicamento natural contra o câncer deve estar disponibilizado em menos de dois anos, a ação do medicamento ajudaria na redução de tumores já existentes, além disso poderia ser utilizado como prevenção em pessoas que já têm uma pré disposição para o desenvolvimento da enfermidade.

Segundo o presidente do Labiofam, José Fraga Castro, o medicamento é composto através da utilização de oito tipos de moléculas que são retiradas de uma espécie de escorpião, estes clonados através de utilização do emprego de técnicas de engenharia genética, tiveram uma ação eficaz em testes laboratoriais que impressionou.

De acordo com José Fraga testes pré clínicos foram realizados em ratos e a resposta obtida impressionou já que em nove dias de utilização o tamanho do tumor diminuiu 90%, caso eles consigam realizar esses testes no início do ano até o começo do ano seguinte, o que sugere um tempo de cerca de um ano e pouco, o medicamento pode ter sua utilização em massa aprovada.

Com a realização dos testes a avaliação feita demonstra que o produto é estável, por esse motivo ele já pode ser considerado um antitumoral com eficácia elevada, segundo Fraga agora os próximos passos é a realização de um novo teste clínico juntamente com todos os demais testes que este processo prevê.

O Laboratório já fábrica medicamentos feitos à base de veneno de escorpião, porém apesar de estes serem eficazes em fornecer uma melhora na qualidade de vida de pacientes com câncer, nenhum deles se mostra eficaz quanto a reversão da enfermidade.

Para desenvolver o novo medicamento, que ainda não possuí nome, o Labiofam conta com o auxílio de empresas da China e também da Rússia, pois estas estão menos fadadas a serem pressionadas pelas transnacionais farmacêuticas, já que este novo medicamento contra o câncer representaria uma concorrência para quimioterapia e também para radioterapia que tem a capacidade de gerar ganhos milionários, segundo Fraga.