Publicado em: sexta-feira, 17/01/2014

Kim Dotcom anuncia lançamento de partido na Nova Zelândia

Após algum tempo desaparecido da mídia, o empresário Kim Dotcom voltou a chamar a atenção do mundo nesta terça-feira, 14 de janeiro. O excêntrico criador do Megaupload anunciou, através de sua conta no Twitter, que irá lançar um partido na Nova Zelândia. O empresário, inclusive, já batizou sua nova empreitada, que se chamará Megaparty, algo como Partido Mega, em referência ao Mega, site de compartilhamento que substituiu o Megaupload recentemente.

Apesar de ter feito história na Nova Zelândia, Kim Dotcom não tem como concorrer às eleições no país, por ser alemão. Segundo o próprio Kim, seu partido deve alcançar, logo após a criação, cerca de 5% dos eleitores do país. O foco de Km Dotcom, como sempre, será o público jovem e aficionado por internet.

Influência

Apesar de ser polêmico e controverso, Kim Dotcom é uma pessoa muito influente no mundo, principalmente na Nova Zelândia. Por isso, assim que o anúncio de seu partido foi feito pelo Twitter, diversos especialistas publicaram análises sobre o que poderá acontecer com as eleições do país caso Dotcom realmente leve esta ideia adiante. E, para a maioria deles, o empresário alemão tem plenas condições de influenciar diretamente as eleições da Nova Zelândia.

De acordo com o cientista político Bryce Edwards, a atuação de Kim Dotcom na política pode atingir muitos eleitores desiludidos com a atual política do país, o que certamente teria um impacto direto na formação do próximo governo. Também pesa a favor de Dotcom seu grande carisma, fruto de muitas de suas ações surpreendentes. Em breve, para comemorar seu aniversário, Dotcom já anunciou que fará uma festa gratuita em Auckland para mais de dez mil pessoas.

Histórico

Para quem não se lembra do folclórico Kim Dotcom, o empresário esteve em bastante evidência no começo de 2012, quando seu Megaupload, um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do planeta, foi fechado pelo FBI. Além do fechamento da página, Kim Dotcom teve seus bens confiscados e foi condenado à prisão na Nova Zelândia. Após diversos embates na justiça, o empresário conseguiu alterar sua pena para prisão domiciliar.

Dotcom nunca fez questão de esconder seu sucesso. Em todos os seus perfis disponíveis nas redes sociais, o empresário é visto em momentos de ostentação. Em 2011, Dotcom chegou a figurar na lista dos dez mais ricos da Nova Zelândia.

Desde o fechamento do Megaupload, a justiça dos Estados Unidos tenta extraditar o empresário alemão, para que ele seja julgado em território norte-americano. Desta forma, Dotcom certamente teria uma pena muito mais severa. Contudo, as chances de que isso aconteça são mínimas, principalmente após o empresário ter comprovado que a polícia da Nova Zelândia se utilizou de meios ilegais no processo contra ele. No caso, Dotcom mencionou a utilização de espionagem, prática que não é permitida na Nova Zelândia contra cidadãos do país. Com isso, o processo contra o empresário se enfraqueceu de maneira considerável, permitindo que ele retornasse à liberdade e iniciasse novos projetos, como o Mega.