Publicado em: quinta-feira, 03/01/2013

Justin Bieber lamenta morte de paparazzi e pede providencias

Justin Bieber lamenta morte de paparazzi e pede providenciasO cantor canadense Justin Bieber se pronunciou nesta quarta-feira (02) a respeito da morte de um paparazzi que seguia a sua Ferrari branca pelas ruas de Los Angeles. O fotografo acabou se envolvendo em grave acidente e faleceu. Bieber afirmou que lamenta o ocorrido e pede que medidas sejam criadas para proteger a vida dos fotógrafos, policiais e das celebridades.

O nome do fotografo não foi divulgado pela polícia. Ele morreu durante a noite de terça-feira, enquanto tentava atravessar uma avenida movimentada para fazer fotos do carro que pertence ao cantor, depois que o veículo foi parado por excesso de velocidade. O astro teen explicou que não estava no carro e que era um amigo que estava dirigindo. Ele anunciou, através de comunicado, que não está diretamente envolvido com o acidente, mas ainda assim lamenta o que aconteceu e pede orações para a vítima e seus familiares.

Bieber é uma das celebridades que mais sofre com a perseguição dos fotógrafos, que não o deixam em paz dia e noite. Ele pede que o incidente alerte para a necessidade de uma legislação e outras medidas que protejam as pessoas envolvidas no mundo da fama, inclusive os fotógrafos. O site TMZ informou que o paparazzi passou a seguir a Ferrari depois que viu o carro saindo de hotel em Beverly Hills, acreditando que fosse Justin quem estava no volante. A polícia contou que o fotografo tirou fotos do carro quando estava no semáforo e foi orientado a sair do local por questão de segurança. Mas mesmo assim tentou atravessar as quatro pistas de uma rodovia, quando foi atropelado.

A Ferrari acabou sendo parada por dirigir acima da velocidade permitida no local. O cantor já havia sido abordado pelo polícia por mesmos motivos em julho do ano passado. Na época o cantor informou que estava correndo com o carro porque paparazzi estavam o seguindo. O astro moveu processo contra o fotografo, se baseando na legislação que visa moderar a ação de fotógrafos agressivos na Califórnia, em novembro do ano passado, mas um juiz de Los Angeles rejeitou dar continuidade ao caso. O juiz Thimas Robinson explicou que a lei criada em 2010 é abrangente demais e pode causar muitos problemas.