Publicado em: sexta-feira, 05/08/2011

Justiça suspende venda da Schincariol

A juíza Juliana Moares Bicudo, da 1ª Vara Civil de Itu, suspendeu no final do dia desta quinta-feira (4) a venda de 50,45% das ações da Schincariol para o grupo japonês Kirin. Ela ainda decretou que o processo que contesta a venda, impetrado pelos minoritários, corra em segredo de justiça. A magistrada também estabeleceu a multa de R$ 100 mil para cada ato praticado no processo e determinou a apresentação dos livros contábeis da empresa e que a junta comercial não registre nada em nome da Schincariol. Porém, a juíza não aceitou o pedido de busca e apreensão de documentos, que havia sido solicitado pelos minoritários.

A venda de 50,45% da Schincariol foi divulgada na segunda-feira (1), com o valor de R$ 3,95 bilhões, referente a participação da holding AleAdri, que pertence aos irmãos Alexandre e Adriano Schincariol. O processo de venda foi contestado pelo outro lado da família, os irmãos José Augusto, Daniela e Gilberto Schincariol Júnior, que possuem os outros 49,55% na empresa, por meio da holding Jadangil.

Os minoritários afirmam que não foi respeitado o acordo de acionários que prevê que eles tenham preferência caso a outra parte decida se desfazer do negócio. Os irmãos Adriano e Alexandre Schincariol ainda não anunciaram a sua posição, mas é esperado que eles recorram da decisão. Não existe um prazo para que o processo seja concluído.