Publicado em: sábado, 07/02/2015

Jungle Fight vai realizar exames após Spider cair no doping

O Jungle Figth, o maior evento de MMA realizado no Brasil, informou nesta última semana uma alteração nos procedimentos de realização das lutas. Tudo aconteceu depois do caso de Anderson Silva, o lutador brasileiro que caiu no doping em teste surpresa realizado no começo de janeiro. O teste deu positivo para drostanolona e por conta da repercussão dessa situação, o evento informou que irá passar a realizar também testes em seus lutadores. Essa medida foi adotada pelo Ultimate Fight Combat em 2013, para garantir que os competidores não usem as substâncias proibidas para melhorar o desempenho durante as lutas e até mesmo fora do período de combate.

O ex-atleta e presidente do evento, Wallid Ismail, comentou que vem há muito tempo defendendo que o MMA precisa se profissionalizar e é isso que o Jungle Fight está querendo alcançar ao tomar essa medida. Ele lembrou que o evento já tem credibilidade, porque nenhum de seus lutadores caiu em exame antidoping nos EUA e os dois campeões brasileiros do UFC já passaram pelo evento nacional. Mesmo assim, ele defende que adotar essa alteração é uma medida muito importante. Ismail ainda lembrou que o esporte precisa ser praticado de maneira limpa e justa, por isso estão tentando garantir que os lutadores do Julgle Fight atendam os mesmos padrões mundiais.Jungle Fight vai realizar exames após Spider cair no doping

O exame antidoping é uma medida rara nas competições de MMA no Brasil, principalmente por conta do custo alto que os exames representam. Mas desde 2013, quando o UFC passou a se aprimorar no que se refere a avaliação dos atletas, a modalidade vem sofrendo consecutivos abalos, especialmente quando alguns dos astros principais do esporte testam positivo para uma série de substâncias. Anderson Silva foi o último grande nome a ser pego no doping, dando positivo para duas substâncias que são além de proibidas, comumente usadas por fisiculturistas para garantir um bom desenvolvimento dos músculos.

O lutador alega inocência e ainda vai ter em breve a oportunidade de se defender do caso na Comissão Atlética de Nevada. Mas somente a repercussão do caso já foi suficiente para que o Jungle Fight adotasse medidas. Ismail destacou que estaria encarando isso como um investimento no evento e no esporte em sua prática nacional, provando ainda mais o valor do Jungle Fight.