Publicado em: quinta-feira, 22/11/2012

Julgamento Goleiro Bruno – Macarrão acusou Bruno de ter mandado matar Eliza Samúdio

Julgamento Goleiro BrunoNo Julgamento do goleiro Bruno, após cinco horas de interrogatório e diversas surpresas apontadas no Fórum de Contage (MG). Luiz Henrique Romão, o Macarrão, alterou a versão que tinha sobre para o desaparecimento e a morte da jovem Eliza Samúdio. Macarrão agora, acusa o goleiro Bruno Fernandes de ser a pessoa que mandou que o crime ocorresse.

Ocorreram várias especulações durante a quarta-feira (21). Era inclusive esperado que Macarrão confessasse que era o autor do crime para que pudesse livrar o ex-goleiro. Ao contrário do esperado, ele incriminou Bruno. Macarrão deu outra versão sobre o que aconteceu com a jovem Eliza Samúdio. Agora ele falou que a responsabilidade foi inteiramente de Bruno.

Macarrão falou que fez a entrega de Eliza, por um pedido que o goleiro fez, para pessoas que estavam dentro de um carro de cor preta, em Pampulha, em Belo Horizonte. E que já imaginava que ela iria ser assassinada. Macarrão disse que tinha pedido para que Bruno deixasse Eliza em paz, porém o amigo respondeu que sabia o que estava fazendo. A assistente de acusação Desiree Tavares da Silva disse que Bruno falou para que Macarrão deixasse de ser frouxo, pois ele mexeria com o Bruno e não com uma pessoa qualquer.

Macarrão não contou a forma como Eliza foi morta e nem quem realizou isto. José Arteiro, outro assistente na acusação fala que se não quiser falar o nome do acusado, não há problema, basta que ele diga as características de quem cometeu o crime. Macarrão disse que só ficou conhecendo Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, dentro da penitenciária. No depoimento, o acusado informou que estava se sentindo aliviado por dizer a verdade, mas temia por sua vida.

O promotor Henry Wagner disse que no delito que Macarrão se implicou foi no próprio assassinato de Eliza, como um participante. No entanto, o que é sustentado pela acusação é que Macarrão é mais do que um participante, ele é o coautor e coarticulador do crime.

O relato de Macarrão que incrimina Bruno surpreendeu todo o tribunal. Era esperado pela promotoria que Macarrão fosse confessar o delito para que inocentasse Bruno. Um advogado de conversou sobre este assunto com o réu pelaa tarde.

Esta possível confissão teve força após haver uma manobra da defesa para que o julgamento do golerio fosse adiado. Na sessão de quarta-feira (21), o advogado Francisco Simin, anunciou que o goleiro ira ser defendido por Lúcio Adolfo da Silva. O novo advogado fez o pedido para que estudasse o caso pois ele diz não ter lido o processo, que tem 15 mil páginas e 64 volumes.

A juíza acatou este pedido, e o julgamento do golerio ficou para 4 de março de 2013, quando também vão ser julgados Bola e Dayanne Rodrigues, a ex-mulher do goleiro. Nesta quarta-feira (21) foram ouvidas duas testemunha, Dona Sônia, mãe de Eliza Samúdio, que ficou emocionada durante vários momentos e afirmou que não iria perdoar o goleiro. Outro que foi ouvido foi Marcos Vinícius Borges, que é amigo de infância de Macarrão. Questionado pelo promotor, ele afirmou que Macarrão não é homossexual.

A juíza permitiu que fossem exibidos vídeos que tinham depoimentos dos ex-caseiros de Bruno, no sítio de Esmeraldas. O casal afirmou que Eliza Samúdio e o filho estiveram presentes no local, alguns dias antes dela desaparecer. No telão também foram divulgadas algumas reportagens. Fernanda, ex-namorada de Bruno, e também acusada no processo ainda terá que ser ouvida. Logo que acabe o interrogatório destes réus, irá começar debate entre a defesa e os acusados. Após isso, os jurados irão se reunir para que deem seus votos sobre o caso.