Publicado em: domingo, 11/05/2014

Juiz classifica ligação entre doleiro e Vargas como de “possível caráter criminoso”

Juiz classifica ligação entre doleiro e Vargas como de “possível caráter criminoso”O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), disse por meio de um documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), que a Polícia Federal classificou as mensagens que foram trocadas entre o deputado licenciado André Vargas e o doleiro Alberto Youssef “têm possível caráter criminoso”. O doleiro foi preso por participar da chamada Operação Lava Jato, da Polícia Federal e acusado de liderar um esquema de lavagem de dinheiro e a evasão de divisas que gira em torno de R$10 bilhões.

Segundo a defesa do deputado André Vargas, será respondido a qualquer questionamento que forem feitos pela justiça, ele é acusado de fazer tráfico de influência a favor das empresas do doleiro, de acordo com as investigações que estão sendo feitas pela PF, os dois atuaram juntos afim de conseguir fechar um contrato milionário entre uma empresa que iria ficar de fachada e o Ministério da Saúde.

Acusações

Segundo a Polícia Federal, Vargas ajudava Youssef a encontrar projetos na administração pública para que assim eles conseguissem desviar o dinheiro público, em concordância, o deputado também assumiu que viajou em um jatinho fretado cedido por Youssef. Por conta das denúncias, Vargas foi pressionado para que renunciasse o mandato, contudo, ele decidiu se desfiliar do PT, além das acusações deste caso, o deputado está sendo processado por quebra de decoro no Conselho de Ética da Câmara que resultou em sua cassação.

O juiz Sérgio Moro enviou à Suprema Corte informações que foram pedidas por parte do ministro Teori Zavascki, ele solicitou dados em relação ao processo do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Paulo Roberto declarou ao Supremo que por conta do envolvimento de André Vargas na investigação, a ação precisaria estar no STF, e não na Justiça do Paraná. Para o magistrado da 13ª Vara Federal a ligação que Vargas tem com o doleiro, não passa de: “um encontro fortuito”.