Publicado em: quinta-feira, 20/11/2014

Juiz do caso Eike Batista declara que julgamento de empresário representa um momento de mudança

Juiz do caso Eike Batista declara que julgamento de empresário representa um momento de mudançaO Juiz do processo do empresário Eike Batista, Flávio Roberto de Souza, declarou que o fato de o empresário estar passando por um julgamento é um fato histórico, já que esta é a primeira vez em que uma pessoa com fama internacional e com empresas consolidadas no mercado participa de um julgamento na condição de réu.

Além disso segundo o magistrado declarou que o fato de o empresário sempre ter feito propagandas de suas empresas e sempre ter demonstrado o desejo de ser o homem mais rico do mundo faz com que sua presença no banco dos réus seja vista como um momento para entrar para a história.

O empresário Eike Batista está sob julgamento para responder as acusações de utilização de informações de caráter privilegiado, e também manipulação de mercado, ambas as acusações são referentes as negociações de ações da empresa petroleira OGX, estas ações podem ter gerado um prejuízo para diversos investidores.

Nesta terça-feira, o julgamento de Eike teve início na Justiça Federal do Rio de Janeiro, a audiência durou cerca de duas horas e meia, estavam previstos depoimentos de cinco testemunhas de acusação, mas no decorrer do julgamento o Juiz, Flávio Roberto declarou que a sessão chegaria ao fim logo após os depoimentos de três testemunhas.

Segundo o procurador da República, José Maria Panoeiro, não há dúvidas de que o empresário Eike Batista tenha culpa por essas ações, em meio a audiência o procurador disse que crime de colarinho branco é como se fosse um crime comum, José Maria ainda disse que é a favor da condenação do empresário por conta de ele ter manipulado o mercado de ações com a informação de que colocaria R$ 1 bilhão na empresa OGX, quando ele já sabia que não iria tomar esta atitude e em relação a ter utilizado de informações privilegiadas, José Maria declarou que o empresário através do uso dessas informações o empresário podia proceder a compra ou venda de ações.

Segundo Sérgio Bermudes, advogado que representa Eike Batista, as provas que o Ministério Público apresentou não tem consistência, segundo ele essas provas deveriam conter afirmações, claras e que não deixassem dúvidas, o que segundo ele não foi realizado pelas testemunhas, sendo assim, Bermudes, declarou que o empresário Eike Batista está despreocupado já que a manipulação de mercado foi algo que não aconteceu.

Duas novas audiências já estão marcadas para o próximo mês, a primeira delas deve ocorrer no dia 10 e a seguinte deve acontecer no dia 17 de dezembro, nesta segunda audiências Eike deve ser ouvido, segundo informações do Juiz responsável pelo caso a sentença do julgamento deverá sair no ano que vem, se não no início, até o mês de março o veredicto deve ser conhecido, caso o empresário seja condenado ele pode pegar de oito à nove anos de reclusão, caso seja condenado o empresário ainda pode recorrer da decisão junto ao Superior Tribunal de Justiça e também ao Supremo Tribunal Federal.