Publicado em: terça-feira, 28/01/2014

Jovem que foi baleado no protesto continua internado

Jovem baleado em protesto continua internadoNo protesto de sábado (25), o estoquista Fabricio Proteus Chaves foi atingido por policiais e está internado na Santa Casa, em São Paulo. Acostumado a participar de atos como este seu irmão, Gabriel Chaves, afirma que ele não faz parte da tática Black Bloc. Segundo ele, sempre participaram, junto com amigos, sem problemas de protestos e não costumavam usar máscaras. O protesto foi motivado por problemas que o país está passando como saúde, transportes e impunidade.

Fabricio foi atingido no tórax, desenvolvendo uma hemorragia interna, e na base do pênis. Já saiu do coma induzido, mas ainda está sedado e não precisa mais do auxilio dos aparelhos para respiração. Ele foi identificado no Facebook como acompanhante de dois grupos Black Blocs. Sua família é evangélica e sempre participava dos eventos da igreja.

A polícia foi enfática ao afirmar que Fabrício reagiu à abordagem com um estilete. Seu irmão confirmou que ele tinha realmente um estilete, mas sempre o usava no trabalho e que era um estilete que os alunos de escola e ele usava para cortar caixas, já que trabalhava como estoquista.

Toda família foi surpreendida pelo que aconteceu. Gabriel diz não ter visto direito as imagens que foram transmitidas e só ficou sabendo que o irmão foi internado na manhã de domingo (26) como desconhecido pela imprensa. Sua mãe ainda não vete coragem de ir ao hospital, está em choque.

Chaves reagiu à prisão e ainda feriu um policial. Em sua mochila foi encontrado um artefato explosivo que, segundo a Secretaria de Segurança, foi feito com lata de cerveja. Nas gravações, exibidas pelo Fantástico, mostra que ele foi realmente perseguido por militares e um deles cai enquanto Fabricio vai em sua direção. Não tem como saber se ele estava ou não com o estilete na mão enquanto o outro policial sacava uma arma.