Publicado em: terça-feira, 30/08/2011

Jornal argelino garante que o país entregaria Kadafi a tribunal internacional

A edição desta terça-feira (30) de um jornal local da Argélia, país norte-africano, informou que o governo do país entregaria o ditador Muamar Kadafi caso ele entrasse no seu território. A informação foi publicada um dia após a Argélia ter confirmado que garantiu abrigo à família de Kadafi. Junto à esposa do ditador, Safia, sua filha, Aisha, e dois de seus filhos, Hannibal e Mohammed, estão protegidos pelo governo argelino.

A publicação do jornal garante a notícia ao fazer referência a uma reunião entre o presidente do país, Abdelaziz Bouteflika, e seus ministros, na qual o líder do país teria afirmado que vai respeitar a decisão internacional para entregar Kadafi. A reunião na qual tal afirmação teria sido proferida aconteceu na segunda-feira (29), quando o país recebeu críticas por ter abrigado os familiares de Kadafi. A Argélia é o único país do norte-africano que faz vizinhança com a Líbia que não reconheceu a autoridade do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão formado por rebeldes para organizarem um novo governo na Líbia.

De acordo com o texto publicado no jornal, “se o Kadafi tentar entrar em solo argelino em meio a conversas de que os rebeldes estão acirrando o cerco na fronteira com a Tunísia, e com as restrições na fronteira egípcia, a Argélia o prenderia e entregaria para o Tribunal Penal Internacional em conformidade com os acordos internacionais.”

Além disso, o jornal reforça que o posicionamento da Argélia não diz respeito à derrubada do regime de Kadafi pelos rebeldes, mas sim ao respeito pela determinação das normas internacionais.