Publicado em: terça-feira, 11/09/2012

Jogos e Redes Sociais tem Mulheres como maioria dos usuárias

Jogos e Redes Sociais tem Mulheres como maioria dos usuáriasUm estudo feito pelo Ibope mostra dados curiosos. Para quem pensava que os gamers eram coisas de adolescente nerd, a pesquisa traz dados interessantes. Os adolescentes ainda dominam os jogos de console, mas os dados não são os mesmo quando se fala em jogos de redes sociais. Nesse campo, as mulheres são maioria.
Os dados da 1ª Pesquisa Game Pop apresenta números que quebram muitos mitos sobre os gamers e seus fãs. O primeiro deles é crer que o mercado de jogos é apenas um mercado de nicho. Conforme o CEO da Hive Digital, Mitikazu Koga Lisboa essa é uma inverdade.

O segundo mito quebrado pela pesquisa é acreditar que existe um perfil de jogador. Lisboa garante que gamer hoje pode ser qualquer pessoa. Essa também é a visão do diretor-executivo da Atrativa, empresa que subsidia produtos da Game House na América Latina. Andre Faure afirma que todo mundo joga alguma coisa. Ambos os diretores estiveram presentes no Seminário Marketing 2.0: Content, Mobile & Games que aconteceu em Curitiba.

A pesquisa feita pelo Ibope, revelou que, 61 milhões de internautas no Brasil, de um total de 80 milhões, acabam jogando alguma coisa. Um dos responsável pelo levantamento, acredita que esses números podem ser ainda maiores. Conforme Lisboa, as pessoas respondem primeiro às perguntas e depois pensam e, como muitas podem não possuir o hábito de jogar, embora joguem, elas respondem negativamente. Para o CEO da empresa que líder do mercado de advertising games no Brasil, os números reais devem ser de 79 milhões de pessoas jogando algum tipo de game.

Considerando somente os dados oficiais, o país é o 4º em gamers no mundo, com cerca de 40 milhões de internautas ativos. O Brasil fica atrás apenas da Alemanha, Estados Unidos e Rússia. Os adeptos de jogos no computador ou no videogame são compostos, basicamente por mulheres. São 47% de jogadoras, sendo que 51% (12 milhões de pessoas) dessas mulheres pertencem à classe A e têm idades entre 40 e 49 anos. O uso de jogos em celulares e smartphones desperta o interesse das mulheres, 23% de usuárias. Entre às mulheres 55% são apenas jogadoras casuais e a maioria delas, 77% usam jogos das redes sociais. Esse número representa dizer que 59% das adeptas de jogos, jogam todos os dias e tem como preferência jogos de cartas.

O levantamento ainda aponta que a mulher gasta mais tempo em games de redes sociais, como os aplicativos do Facebook. A faixa etária desse público varia entre 25 e 35 anos. A pesquisa do Ibope também mostra que os usuários preferem aparelhos que possam estar conectados na TV. São 22%das pessoas.
Ainda conforme os dados coletados pela pesquisa, o tipo de jogo ou formato influencia o hábito dos indivíduos. Os jogadores online gastam em média 5h14 min, enquanto os que jogam através de consoles ou jogos portáteis ficam 3h22 min. Agora, vale ressaltar que o número de jogadores de console está caindo a cada dia. Isso porque as pessoas estão preferindo celulares e tablets para jogar.

A 1ª Pesquisa Game Pop mostrou que há uma migração do formato de jogos. Do modelo pago (Premium) para o gratuito (freemium).