Publicado em: sexta-feira, 14/02/2014

Jogo do Cruzeiro na Libertadores é marcado por atos de racismo

Libertadores 2014O Cruzeiro estreou na Libertadores de 2014 nesta quarta-feira, 12 de janeiro. Inicialmente, o clube mineiro pensou que teria dois grandes problemas: a altitude da cidade de Huancayo e, claro, o adversário do dia, a equipe do Real Garcilaso. Contudo, a Raposa encontrou outro problema inesperado: o péssimo comportamento da torcida local, que cometeu repetidos atos racistas contra o volante Tinga.

O Cruzeiro acabou sendo derrotado, de virada, por 2 a 1. Mas o resultado do jogo foi apenas um detalhe, considerando a gravidade do ato praticado contra o volante cruzeirense.

A partida

O Cruzeiro começou a partida ciente das dificuldades que teria de enfrentar dentro de campo. A altitude, aliada a um gramado de grandes dimensões, fez com que a Raposa segurasse o ritmo nos minutos iniciais. Mesmo com o freio de mão puxado, foi a equipe brasileira quem criou as melhores chances nos primeiros minutos de jogo. O Garcilaso, inferior tecnicamente, apostava nas ligações diretas entre defesa e ataque.

O gol do Cruzeiro não demorou muito a aparecer. Após cobrança de escanteio de Dagoberto, aos 19 minutos da etapa inicial, Bruno Rodrigo se desvencilhou dos zagueiros e cabeceou sozinho.

Atrás no marcador, o Garcilaso teve de sair para o jogo, mas faltava qualidade para a equipe peruana. Após algumas boas chances para ambos os lados, a partida foi para o intervalo com vantagem brasileira no placar.

Segundo tempo

O Garcilaso precisou de apenas seis minutos para empatar o jogo. Assim como no gol cruzeirense, o lance se originou de uma cobrança de escanteio. Britez, com liberdade, mandou para as redes e deixou tudo igual no marcador.

Dez minutos depois, em novo lance de bola parada, o Garcilaso conseguiu a virada, com Rodríguez. Atrás no marcador, o técnico Marcelo Oliveira mexeu no time, promovendo as entradas de Henrique, Willian e Tinga.

Apesar das substituições, o Cruzeiro seguia irreconhecível em campo. A equipe não conseguiu repetir o bom desempenho do primeiro tempo e, claramente cansada, criou poucas chances de gol. Na próxima rodada da competição, o Cruzeiro recebe o Universidad de Chile. A partida acontece no dia 25 de fevereiro.

Racismo

Assim que Tinga pisou no gramado, começaram os insultos racistas vindos das arquibancadas. Toda vez que o volante brasileiro pegava na bola, era possível ouvir claramente as imitações de sons de macaco vindas das arquibancadas, em quantidade numerosa.

Após o término do jogo, Tinga afirmou que trocaria todos os títulos já conquistados em sua carreira por um mundo livre de preconceitos. O volante também se disse surpreso com a atitude da torcida local, recordando dos anos em que atuou na Alemanha. Mesmo no país europeu, Tinga afirmou nunca ter visto algo parecido.

Tinga atuou no poderoso Borussia Dortmund entre 2006 e 2010. Antes, o volante foi o responsável pelo gol que deu o título da Libertadores ao Internacional, em 2006, na final contra o São Paulo. Na Europa, a UEFA tem punido severamente as equipes que têm torcidas racistas. Até o momento, a Conmebol não se manifestou sobre o episódio no Peru.