Publicado em: terça-feira, 04/04/2017

Jogadores da NHL fora da Olimpíada de inverno em 2018

Finalmente a decisão foi decretada. E não foi positiva. A NHL definitivamente interrompeu a liberação dos jogadores para disputar as Olimpíadas de Inverno de 2018 em PyeongChang, na Coreia do Sul.

Numa reunião feita com o COI (Comitê Olímpico Internacional) na primeira semana desse mês, a liga dos jogadores de hóquei entrou em um consenso com o órgão que se recusou a seguir medidas propostas pela NHL. O comissário da liga, Gary Bateman, em uma coletiva de imprensa lamentou o ocorrido e fez um comunicado público sobre o resultado da reunião. Conforme dito, a NHL não tem nenhum interesse em engajamento ou impulso para tornar ativa a participação da liga nas Olimpíadas de Inverno de 2018.

Bateman ainda afirmou ao jornal The New York Times que “o problema é que os clubes não concordam em interromper a temporada”, uma vez que a participação dos clubes nas Olimpíadas implicaria num recesso de três meses. É a primeira vez, desde os jogos de Lillehammer em 1994, que os clubes da NHL não participarão de um evento olímpico de inverno.

nhl olimpiadas

Mais motivos para a interrupção

Algumas exigências foram solicitadas pelo NHL ao COI a fim de realizar a liberação da liga para os jogos. Em nota, o COI deveria arcar com custos de viagem, acomodação e alimentação dos jogadores na edição do ano que vem. O órgão não aceitou as solicitações, o que fez que o problema se agravasse ainda mais, mesmo com a Federação Internacional de Hóquei (IIHF) se oferecendo a pagar as despesas listadas pela liga.

Com mais reuniões feitas no decorrer dos meses, o órgão internacional não entrou em consenso com a liga após a NHL requerer declaração como patrocinadora oficial dos jogos olímpicos de inverno. Dave Organ, diretor-executivo da IIHF, também numa nota oficial, informou que respeita a decisão tomada pelo NHL, mas que a Federação de Hóquei Internacional ainda se mantém otimista quanto a escalação de atletas que não participam da NHL para os jogos.

Nos bastidores, o clima em relação à decisão é controverso. Enquanto a liga admite que a aceitação dos jogadores frente ao ultimato é positiva, os atletas já demonstram certo desgosto, uma vez que há a interrupção de 17 dias no calendário de jogos enquanto as olimpíadas acontecerem. Com seleção de clubes para as vagas no Stanley Cup, que se inicia em abril, os times já se mostram preocupados quanto à ação tomada pela NHL.

Outra preocupação evidente é referente às lesões. Segundo o comunicado oficial da liga e o acordo feito com o COI, os times também não poderão praticar treinamentos, o que acarreta o risco de problemas físicos acontecerem. Embora essa “crise” no acordo entre COI e NHL tenha se agravado na edição de 2014, em Sochi, por conta do retorno de um número grande de atletas machucados após os jogos, o desafio é ainda maior agora com a disputa de vagas nos playoffs.

As falhas no diálogo entre as duas organizações podem prejudicar ainda mais o futuro dos clubes que participam da liga para edições futuras.