Publicado em: quinta-feira, 27/06/2013

Joaquim Barbosa tem preferência para suceder Dilma em SP

Joaquim BarbosaJoaquim Barbosa não faz parte na lista dos interessados em ocupar a cadeira presidencial no Palácio do Planalto, só a que ocupa, como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), mesmo assim, Joaquim Barbosa, está no topo da lista para substituir a atual presidente Dilma Rousseff dos manifestantes da cidade de São Paulo, Capital.

A pesquisa colocou Joaquim Barbosa com 30% de intenção dos entrevistados, Marina Silva em segundo com 22%, a ex-senadora está tentando criar a “Rede Sustentabilidade” e a Dilma está em terceiro na lista de intenção de votos dos paulistanos, com 10%.

Aécio Neves fica atrás de Dilma com 5%, e ainda depois dele, Eduardo Campos, o governador de Pernambuco com 1% das intenções. Esta pesquisa foi feita na região da Avenida Paulista, central da Capital, enquanto aconteciam os protestos, entrevistando 551 manifestantes.

De acordo com a Datafolha, que realizou a pesquisa, os erros podem ser de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

Intenções antes das manifestações

A pesquisa nacional do Datafolha que foi fechada no dia 7 de junho, um pouco antes de começarem os protestos que se espalharam por todo o país, o resultado era diferente. Na liderança estava Dilma com 51%, depois dela estava Marina com 16% das intenções e então Aécio Neves com seus 14%, praticamente empatado no segundo lugar com Marina.

Desde que figurou o julgamento do mensalão em 2012 que Barbosa adquiriu esta exposição nacional tão ampliada, ele foi relator do processo que condenou 25 réus, entre estes condenados estavam figuras que compunham a antiga cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT).

As redes sociais criaram força para ele deixar o STF e a suceder Dilma. Barbosa até o momento presente não mostrou nenhuma intenção em se candidatar à Presidência. No mês de dezembro do ano passado ele afirmou ser alheio a qualquer partido político, porém, declarou se muito lisonjeado a respeito dos dados da pesquisa.

De acordo com Joaquim Barbosa qualquer brasileiro sentiria satisfação na situação dele, ainda mais de forma espontânea. Mas, ele lembra que jamais atuou em política, nem militou em qualquer partido ou associações. Ele afirma que seu trabalho sempre foi exclusivamente voltado para o serviço do Estado e sociedade brasileira.