Publicado em: terça-feira, 29/04/2014

Joaquim Barbosa repudia comentário de Lula

Joaquim Barbosa repudia comentário de LulaO ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, deu seu comentário sobre o caso do mensalão que não deixou contente o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Lula afirmou que as decisões tiveram cerca de 80% relacionadas à política. Barbosa não deixou de dizer que é um erro grave desqualificar o tribunal.

Barbosa divulgou o seu repudio através de uma nota que se tornou pública na noite da última segunda-feira, dia 28 de abril. Lula fez o seu pronunciamento em uma entrevista para uma emissora português da televisão. O ex-presidente salientou que o julgamento dos envolvidos no mensalão foi dado somente em 20% pela justiça e os outros 80% pela política.

Além disso, Lula escondeu que tenha ocorrido qualquer tipo de desvio de dinheiro e que os fatos ainda serão recontados para o povo saber de verdade o que aconteceu. Joaquim Barbosa não se omitiu quanto à fala de Lula e respondeu à altura.

Barbosa afirma lamentar muito que um ex-presidente tenha se manifestado na imprensa estrangeira para dizer que o trabalho da alta Corte do país não tenha credibilidade. Ele diz que Lula provocou sentimento de desesperança ao povo brasileiro que já é assolado por tanta corrupção e violência.

O presidente do STF ressaltou que o julgamento aconteceu de maneira transparente e que todas as partes puderam acessar os autos e que todas as sessões foram veiculadas ao vivo pela TV Justiça. Barbosa reforçou que foi a primeira vez que isso ocorreu na história do tribunal.

Além disso, Barbosa explicitou que todos os advogados fizeram solicitações para dar direito de defesa a cada réu. Ele afirma que o juízo de valor feito por Lula não condiz com a realidade e revela uma dificuldade de entender o verdadeiro papel que tem o poder Judiciário independente.

Não foi somente Barbosa que criticou os comentários de Lula. O ministro já aposentado Ayres Britto diz que não se pode duvidar da legitimidade da justiça. Já o ministro Marco Aurélio Mello afirma que não se pode considerar a fala de Lula porque nada tem a contribuir com o país. Até porque ele não é técnico em direito e sim um integrante do Partido dos Trabalhadores (PT).