Publicado em: quinta-feira, 22/08/2013

Joaquim Barbosa fala a respeito do desentendimento ocorrido entre ele e Lewandoviski

Joaquim BarbosaApós abertura oficial da sessão de ontem para mais um dia de votação de recursos de condenados do mensalão, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa fez um discurso onde ele deixou claro que tem respeito por seus colegas e justifica dizendo que seus atos são para garantir a agilidade de todos os trabalhos que são realizados no Tribunal.

Barbosa disse ainda em seu discurso que todas as suas ações são baseadas no respeito pelo povo e ressalta que sua intenção jamais foi de inibir o direito de seus demais colegas presentes na sessão anterior em que a discussão foi gerada.

A discussão gerada entre Barbosa e Lewandoviski foi gerada após as análises do recurso do Bispo Rodrigues, que solicitava que sua pena fosse revista já que segundo ele, teria sido condenado com penas mais severas do que as que vigoravam na época de comprovação de sua participação no esquema do mensalão, Joaquim Barbosa e Lewandoviski discordaram em pontos sobre a revisão da pena de Bispo Rodrigues e o presidente do Supremo Tribunal Federal acusou Lewandoviski de estar promovendo chicanas, que caracterizam manobras utilizadas geralmente por advogados quando querem atrasar alguma decisão.

Após essa discussão dos dois Joaquim Barbosa resolveu encerrar a sessão e disse que Lewandoviski não tinha respeito pelo Supremo e nem pelos trabalhos que ali estavam sendo realizados, de acordo com informações de pessoas presentes, o desentendimento foi levado para fora do Tribunal, mesmo quando a sessão já estava totalmente encerrada.

Após discurso de Joaquim Barbosa imediatamente Lewandoviski disse que a discussão entre os dois foi um episódio lamentável e ressaltou que recebeu muitas manifestações de apoio de diversas entidades, dentre elas, a Ordem dos Advogados do Brasil e ressaltou que este desentendimento deve ser esquecido, que o que ocorreu ficou para trás e que é preciso se concentrar nos trabalhos que ainda estão sendo realizados, especialmente o trabalho de análise dos recursos do mensalão e finaliza dizendo que pela história que o Tribunal possui, os membros que o integram são muito menores do que o valor dessa história.